Bebê sequestrado é devolvido por mãe de suspeita

Recém-nascida havia sido levada na quarta-feira; acusada está foragida

Elvis Pereira, O Estadao de S.Paulo

29 Agosto 2009 | 00h00

Um dia após ser levada da mãe, a dona de casa Josiele do Espírito Santo da Cruz, de 26 anos, Amanda, de 1 mês, voltou para a família. O sequestro da menina terminou após ela ser devolvida por duas mulheres no 99º Distrito Policial (Campo Grande), na zona sul da capital. Segundo a polícia, as duas mulheres são Maria de Fátima Rodrigues Coutinho e Adriana Mota Nascimento, sogra e mãe, respectivamente, de Beatriz Mota Magalhães, de 18 anos, acusada de sequestrar a menina para apresentá-la ao marido como sendo a filha do casal. Até a noite de ontem, Beatriz continuava foragida.A recém-nascida havia desaparecido na quarta-feira. Josiele contou que uma mulher visitou o abrigo da Igreja Adventista do 7º Dia, no Capão Redondo, que acolheu parte dos moradores despejados da Favela Olga Benário, no Parque do Engenho. A falsa voluntária indagou de quem era o bebê mostrado na televisão.Josiele se encontrou com a acusada e, em seguida, as duas foram até uma farmácia. A farsante prometera que compraria remédios e fraldas para a dona de casa. Com a criança no colo, ela despistou a mãe de Amanda e fugiu. Maria de Fátima reconheceu a nora ao assistir ao vídeo com a cena da farmácia. Ela entrou em contato com Adriana e as duas decidiram devolver a menina. SANTA CASAAdriana disse que, na noite de quarta, a filha ligou, avisando que estava na frente da Santa Casa de Misericórdia de Santo Amaro e o filho dela nascera. Foram buscá-la a mãe, o pai da criança e o patrão dele. Adriana afirmou à polícia que estranhou o tamanho da criança. Beatriz tinha sangramento vaginal e dissera que recebeu alta logo por conta da gripe A (H1N1). Como ela estava "sem barriga", a mãe acreditou na versão da filha. A mãe de Beatriz afirmou, ainda, que a jovem marcara uma cesariana para quarta-feira no Hospital Estadual de Pedreira, na zona sul. "Não tinha nenhuma cirurgia ou internação prevista", rebateu a Secretaria da Saúde, em nota. Segundo a pasta, na terça, Beatriz foi atendida na unidade. Queixava-se "de perda de líquido vaginal e dores na região uterina". A ultrassonografia a que foi submetida "não apontou nenhum indício de gravidez". Segundo os familiares, Beatriz saiu de casa anteontem sem dizer aonde iria. Ela deverá ser indiciada por sequestro e cárcere privado. A polícia acredita que esclarecerá o que realmente aconteceu apenas quando localizá-la. É considerada mínima a possibilidade de Josiele ter entregado a criança e se arrependido depois. Josiele e seu marido, Edno Santos Vargas, de 20 anos, reencontraram Amanda na tarde de ontem, no 47º Distrito Policial (Capão Redondo). Ao recebê-la, a mãe reafirmou: "É minha filha." "A atitude das duas mulheres (ao devolvê-la) foi maravilhosa", disse Josiele. "Agora quero cuidar dela, dar bastante carinho", afirmou o pai.BAIXADAUma mulher foi presa, ontem à noite, acusada de ter raptado a recém-nascida M., de menos de 1 mês, em Santos, na Baixada Santista. Ela estava com a criança em São Paulo. Desaparecida desde segunda-feira, a menina foi deixada sob os cuidados da acusada quando os pais decidiram sair para procurar um quarto para alugar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.