Bebeu, dirigiu, matou, pagou e está solto

Uma caminhonete Ford invadiu um posto de abastecimento e atropelou três pessoas, no sábado à noite, em Sorocaba. Uma das vítimas, Marcelo Eduardo da Silva, de 36 anos, passou por uma cirurgia no Hospital Regional, mas não resistiu. Sua morte foi confirmada às 13h45 de ontem. O dono da caminhonete, o empresário Paulo César Mendes Rocha, de 32 anos, parecia estar embriagado. Ele negou, mas foi levado numa viatura da Polícia Militar para o plantão da Polícia Civil. Confirmada a embriaguez, teve apreendida a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), foi autuado em flagrante, mas pagou fiança para não ficar preso. A família da vítima está revoltada. O corpo de Marcelo deve ser sepultado hoje.Rocha foi submetido às sanções da Lei Federal nº 11.705, em vigor desde o dia 20, que fixou punições mais duras para quem dirigir após consumir álcool, mesmo em quantidade reduzida. Com a política do "álcool zero", o motorista embriagado que se envolver em acidente com morte poderá ser processado por homicídio doloso (pena de 6 a 20 anos de prisão) e não mais por homicídio culposo com agravante, que permitia pena máxima de 6 anos.O acidente aconteceu por volta das 18 horas no posto Avenida, no Bairro do Éden. De acordo com o supervisor Paulo Sérgio de Souza, ele conversava com três amigos - entre eles Marcelo - quando a caminhonete modelo F-250, com placas DBH-0380, de Sorocaba, se aproximou em alta velocidade. Ele pulou para o lado, mas o veículo atingiu, além de Marcelo, José Clóvis Tomaz e José Eduardo de Melo. Segundo a testemunha, à frente da caminhonete passou um Corsa também em alta velocidade, o que a fez supor que os dois veículos disputavam um racha. Depois de atropelar o grupo, o veículo invadiu o boxe de troca de óleo e atingiu um portão. Melo teve ferimentos leves. José Clóvis e Marcelo foram levados para o Hospital Regional. Clóvis continuava internado até a tarde de ontem. Familiares da vítima, entre eles a mulher e um filho de 17 anos, clamavam por justiça na porta do hospital.Segundo o delegado seccional André Moron, a morte da vítima agrava a situação do acusado, que irá responder a processo por homicídio culposo.FAMÍLIA DIZIMADATambém no sábado, outro motorista embriagado causou a morte de quatro pessoas da mesma família no Distrito Federal. O motorista Márcio Carlos Fontenelle perdeu o controle de seu caminhão e atingiu um Santana com cinco passageiros, na cidade de Samambaia, por volta das 18h30. O único sobrevivente foi William Gomes da Silva, que perdeu sua mulher, Ana Paula, e seus dois filhos, Lucas Levy da Silva, de 3 anos, e Allison Levy da Silva, de 7. A avó das crianças, Eliane, foi levada ao hospital, mas faleceu. O teste do bafômetro do motorista acusou 1,24 mg de álcool por litro de ar expelido - a partir de 0,3 mg responde-se criminalmente.

José Maria Tomazela, SOROCABA, O Estadao de S.Paulo

30 de junho de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.