Beira-Mar chega a SP em clima de filme policial

O traficante Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, desembarcou às 3h50 desta quinta-feira de um jatinho da Polícia Federal no Aeroporto Adhemar de Barros, em Presidente Prudente. Ele deixou o presídio Bangu 1, no Rio, nesta quarta-feira, por volta das 23 horas, sob forte esquema de segurança.Beira-Mar foi levado para a Base Aérea de Santa Cruz, na zona oeste do Rio, de onde embarcou, à 0h30, para o interior paulista.Entendimentos entre os policiais federais do Comando de Operações Táticas Especiais (Cote) de Brasília e de São Paulo duraram 29 minutos, até que se iniciasse o transporte terrestre de 22 quilômetros do preso com destino ao Centro de Readaptação Penitenciária (CRP).Uma Blazer que trazia Beira-Mar chegou às 4h45 no presídio, escoltada por forte aparato policial.O presídio fica à margem da Rodovia Raposo Tavares, no km 586, próximo ao trevo de acesso à zona urbana de Presidente Bernardes, um município de 15 mil habitantes.Concreto e bloqueadorBeira-Mar ocupa uma das 160 salas individuais do presídio, considerado o mais seguro do País. O CRP é o segundo presídio de Presidente Bernardes, inaugurado em abril. Tem muralhas com 8 metros de altura. O piso, com 2 metros de concreto, é revestido ao fundo e nas laterais com chapas de aço, para evitar escavações.O local está equipado com bloqueadores de telefones celulares. No pátio, há um cabo de aço, esticado de um extremo ao outro, para evitar o pouso de helicópteros. Advogados e visitas passam por detector de metais e não têm contato físico com os presos. Ficam separados por vidros blindados e conversam por interfones.O movimento interno no presídio é vigiado por 26 câmeras de um circuito de TV. Os presos não têm acesso a nenhum tipo de informação exterior. Eles permanecem algemados em qualquer movimentação interna, menos na cela."Sem privilégio"O diretor do CRP, Antonio Sérgio de Oliveira, diz que Beira-Mar não terá nenhum privilégio. O traficante está na sala 9, na ala de isolamento.Duas mulheres, uma loira e uma morena, estiveram nesta quinta-feira no presídio.Oliveira confirmou que eram a advogada e a irmã de Beira-Mar. As duas recusaram-se a falar com a imprensa. Chegaram e saíram de táxi. Elas tomariam o vôo das 17 horas, com destino a São Paulo. A Pantanal cancelou o vôo, por "manutenção não programada".Diante da presença da imprensa, elas deixaram o aeroporto num táxi, com nova viagem programada para o vôo das 19h45.Beira-Mar é considerado um dos bandidos mais perigosos do País, acusado de ter ligações com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). O criminoso estava preso havia dez meses no Complexo de Bangu, de onde comandou a rebelião de 11 de setembro, que durou 23 horas e terminou com a morte de quatro presos.Veja o especial:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.