Beira-Mar e sete testemunhas serão ouvidos na prisão de MS

Juiz federal Odilon de Oliveira tentou realizar audiência em base do Exército em Ponta Porã, mas não conseguiu

João Naves de Oliveira, O Estado de S.Paulo

25 de junho de 2008 | 16h12

O traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, e sete testemunhas de acusação serão ouvidos nesta quinta-feira, 26, dentro do Presídio Federal de Campo Grande. A informação é do juiz federal Odilon de Oliveira, responsável pelo processo aberto em 2000, quando foi apreendida uma agenda, revelando nomes dos contatos de Beira-Mar no Estado e no Paraguai. São 48 pessoas residentes na fronteira entre Mato Grosso do Sul e Paraguai citadas na caderneta, que emprestaram contas bancárias em seus nomes, para depósitos de dinheiro do narcotráfico. Ente elas Rosa Maria Rocha, de 35 anos, apontada como a contadora de Beira-Mar e administradora das casas de câmbio para lavagem de dinheiro, instaladas em Capitán Bado, cidade paraguaia vizinha de Coronel Sapucaia (MS). "O Beira-Mar pode ser morto fora do presídio e por isso a audiência será dentro da penitenciária. Foi permitida a entrada no local de sete ou oito testemunhas, as demais serão ouvidas por carta precatória", disse o magistrado. Ele explicou ter tentado realizar a audiência dentro do quartel do Exército em Ponta Porã, na divisa com o Paraguai, mas não conseguiu.

Tudo o que sabemos sobre:
Fernandinho Beira-marCampo Grande

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.