Beira-Mar é transferido para São Paulo

Terminou a polêmica sobre o destino de Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar. Uma negociação política que envolveu até o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, que esteve nesta quarta-feira no Rio, garantiu a transferência do maior e mais polêmico traficante brasileiro para São Paulo. A partir desta quinta-feira, Beira-Mar vai ocupar uma cela no presídio mais seguro do País, o de segurança máxima de Presidente Bernardes, no interior do Estado de São Paulo, a 589 km da capital. A transferência de Beira-Mar aconteceu no início da madrugada desta quinta-feira. O traficante deixou o presídio Bangu 1 rumo a base aérea de Santa Cruz, na zona oeste do Rio, onde embarcou em um monomotor. O desembarque no aeroporto de Presidente Prudente deverá acontecer por volta de 3h00. De lá, ele seguirá por cerca de 50 km por terra até Presidente Bernardes. Com essa medida, o polícia tenta acabar com o poder de influência que o traficante exerce no tráfico de drogas carioca. Mesmo preso em Bangu 1, Beira-Mar tem liderado rebeliões e teria ordenado o fechamento do comércio e os atos de violência dos últimos dias no Rio.Em Presidente Bernardes, o traficante vai ocupar uma cela individual onde ficará isolado 22 horas e meia por dia. Não terá acesso a tevê, jornal ou revista. Também será privado de visitas íntimas e outras vantagens a que tem direito no Rio, como jogo de futebol. O presídio abriga toda a cúpula da facção criminosa Primeiro Comando da Capital, o PCC.Para ajudar a entender a violência e o poder do tráfico no Rio de Janeiro: O Mapa do Tráfico no RioO tráfico de Beira-MarExército da Colômbia anuncia a prisão de Fernandinho Beira-Mar> Beira-Mar liga políticos e policiais ao tráfico> Fernandinho Beira-Mar é transferido para o Rio Beira-Mar lidera motim em Bangu e mata rivaisDe segurança máxima, prisões têm só o nomeBangu 1: 14 anos, 48 celas e muitas ´personalidades´A segurança máxima. Aqui e nos EUAUma penitenciária à prova de Beira-MarBeira-Mar: da infância pobre ao comando do tráficoVeja o especial:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.