Beira-Mar ficará isolado 23 horas por dia

Pelos próximos 30 dias, o traficante Fernandinho Beira-Mar ficará isolado 23 horas por dia em uma cela de 8 metros quadrados, com paredes de 15 centímetros de espessura e vidros blindados, na penitenciária de segurança máxima de Presidente Bernardes.Terá direito de tomar banho de sol por uma hora. Além disso, Beira-Mar será monitorado todo o tempo por 26 câmeras de vigilância. A prisão mais segura do Brasil foi inaugurada em 2 de abril de 2002 e custou R$ 7,7 milhões aos cofres públicos.A detenção, que tem área total de 7.065 metros quadrados, tem muros com 8 metros de altura. No solo, tem uma chapa de aço com uma camada de concreto inviolável para evitar escavação de túneis.O projeto de construção segue o modelo dos presídios americanos conhecidos por Supermax, que hoje abrigam 20 mil presidiários - 2% da população carcerária dos Estados Unidos - em 35 unidades. As janelas permitem a entrada da luz, mas impedem que o condenado veja o exterior.As celas são individuais, têm paredes à prova de som e o preso tem todos os seus movimentos monitorados por câmeras. Tomam banho a cada dois dias e seguem algemados para os chuveiros.Beira-Mar vai dividir espaço na penitenciária com mais 68 presos - entre eles José Márcio Felício, o Geleião, uma das lideranças do Primeiro Comando da Capital (PCC) - e 106 agentes que cuidam da segurança.No local, há dois parlatórios com interfone, onde os presos podem receber visitas e advogados. Os detentos da penitenciária de segurança máxima podem receber dois parentes próximos uma vez por semana, mas em hipótese nenhuma têm contatos físicos. Ele são separados por uma parede de vidro.Mesmo que consiga burlar a segurança e ter acesso a um celular, Beira-Mar não poderá entrar em contato com seus comparsas da facção Comando Vermelho. A penitenciária tem quatro antenas de 2,5 metros conectadas a pequenas caixas que bloqueiam o sinal no local.Durante o banho de sol, Beira-Mar será algemado e estará sempre em companhia de quatro agentes - um de cada lado, um na frente e outro atrás.Veja o especial:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.