Beira-Mar irá para carceragem da PF em Brasília

O traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, está neste momento em trânsito, sendo transferido pela Polícia Federal de Maceió, onde estava preso desde novembro do ano passado, para Brasília. Condenado por tráfico de drogas, homicídios, entre outros crimes, Beira-Mar deverá ficar preso provisoriamente na carceragem da Superintendência da PF em Brasília, até a inauguração do primeiro presídio federal, prevista para junho próximo.O traficante deixou a carceragem da Polícia Federal no bairro de Jaraguá, em Maceió, por volta das 7h20 desta sexta-feira, 24. Beira-Mar embarcou em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB), saindo do Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares. ExplosõesNa quinta-feira, 23, o secretário da Administração Penitenciária de São Paulo, Nagashi Furukawa afirmou que Beira-Mar planejava explodir três hotéis da orla da zona sul do Rio e que isto teria levado à transferência do traficante para São Paulo, em fevereiro de 2003."O ministro Márcio Thomaz Bastos (Justiça) recebeu pedido do governo do Rio para tirar Beira-Mar do Estado porque ele ia mandar explodir três hotéis de luxo cheios de turistas, este é o fato. O ministro procurou o governador Geraldo Alckmin, que me consultou e, numa situação como esta, nem pensei no aspecto jurídico, por se tratar de uma questão de segurança, e ele foi tirado imediatamente", declarou Furukawa, durante seminário para discutir a execução penal nos cinco presídios que estão sendo construídos pelo governo federal, no auditório do Tribunal Regional Federal da 2.ª Região. "Podia ser blefe, mas e se não fosse?", indagou o secretário. Após a palestra, Furukawa confirmou a história. "Esse foi o motivo que levou o governo do Rio a pedir a transferência."Na madrugada de 27 de fevereiro de 2003, Beira-Mar foi levado de avião, pelo Comando de Operações Táticas da Polícia Federal, do complexo de Bangu para a penitenciária de segurança máxima de Presidente Bernardes, no interior de São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.