Beira-Mar planejava explodir três hotéis no Rio, diz Furukawa

O traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, planejava explodir três hotéis da orla da zona sul do Rio, por isso foi transferido para São Paulo, em fevereiro de 2003, afirmou nesta quinta, 23, o secretário da Administração Penitenciária de São Paulo, Nagashi Furukawa."O ministro Márcio Thomaz Bastos (Justiça) recebeu pedido do governo do Rio para tirar Beira-Mar do Estado porque ele ia mandar explodir três hotéis de luxo cheios de turistas, este é o fato. O ministro procurou o governador Geraldo Alckmin, que me consultou e, numa situação como esta, nem pensei no aspecto jurídico, por se tratar de uma questão de segurança, e ele foi tirado imediatamente", declarou Furukawa, durante seminário para discutir a execução penal nos cinco presídios que estão sendo construídos pelo governo federal, no auditório do Tribunal Regional Federal da 2.ª Região. "Podia ser blefe, mas e se não fosse?", indagou o secretário. Após a palestra, Furukawa confirmou a história. "Esse foi o motivo que levou o governo do Rio a pedir a transferência." A reportagem procurou a assessoria da governadora Rosinha Matheus, mas ainda não obteve resposta.Na madrugada de 27 de fevereiro de 2003, Beira-Mar foi levado de avião, pelo Comando de Operações Táticas da Polícia Federal, do complexo de Bangu para a penitenciária de segurança máxima de Presidente Bernardes, no interior de São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.