Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Beira-Mar vai ficar incomunicável e com uma visita por semana

O delegado da Polícia Federal Daniel Gomes Sampaio, coordenador-geral do Comando de Operações Táticas (COT), disse nesta sexta-feira, em Maceió, durante reunião do Conselho Estadual de Segurança Pública, que o traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, vai ficar incomunicável e só terá direito a uma visita por semana de sua advogada ou de um de seus parentes.Ele disse também que a Polícia Federal está preparada para manter o traficante em Maceió em condições de segurança, porque seu efetivo foi reforçado com mais 60 policiais do COT e conta, ainda, com o apoio das polícias civil e militar de Alagoas. Disse ainda que Beira-Mar está em uma cela de segurança máxima e que a fuga dele é "praticamente impossível", porque não existe segurança imbatível.Finalizou agradecendo ao governador por ter recebido Beira-Mar e disse que o Estado de Alagoas está dando um exemplo ao País na luta contra o crime organizado. A participação de Sampaio tranqüilizou os integrantes do Conselho Estadual de Segurança, que é composto por representantes dos órgãos de segurança e de entidades da sociedade civil organizada.A reunião foi presidida pelo governador Ronaldo Lessa (PSB), que, mais uma vez, reiterou a disposição do Estado em colaborar com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva no combate ao crime organizado.A reunião contou com a participação de 27 conselheiros, entre eles o representante da Comissão de Direitos Humanos da OAB de Alagoas, Pedro Montenegro, que discordou da posição do governador e disse que a permanência de Beira-Mar em Alagoas pode atrair bandidos de alta periculosidade para o Estado.O vice-presidente da OAB Alagoas e procurador do Estado, Omar Coelho de Mello, também condenou a transferência de Beira-Mar para Alagoas e pediu ao governador que reduzisse o tempo de permanência do narcotraficante no Estado. O representante do Ministério Público Estadual, Valber Valente, disse que a apóia a posição do governador por se tratar de fato consumado, mas espera que sejam tomadas medidas de segurança para que a população não seja prejudicada.A advogada de Fernandinho Beira-Mar, Cecília Machado, que pela manhã não pode entrar em contato com seu cliente, teve acesso a ele na parte da tarde e disse que vai continuar recorrendo à Justiça para levá-lo de volta ao Rio de Janeiro. A advogada vai continuar em Maceió o tempo que for necessário, segundo ela, e não aceita a transferência de Beira-Mar para o Piauí. "Se em Alagoas ele não quer ficar, imagine no Piauí", disse ela.Durante a reunião do conselho, o Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas distribuiu nota pedindo aos conselheiros que intercedam junto ao governador para que Ronaldo Lessa receba o sindicato e discuta as reivindicações salariais da categoria. Na porta do palácio, onde acontecia a reunião, o sindicato afixou uma faixa com a seguinte frase: "Em Alagoas, policiais não têm salário, mas têm Beira-Mar". Veja o especial:

Agencia Estado,

28 de março de 2003 | 20h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.