Benedita justifica gastos com dirigível

A governadora Benedita da Silva (PT) disse nesta quinta-feira que quer ?gastar menos com funerais e mais com segurança?, ao comentar o alto custo de operação do dirigível que deve auxiliar a polícia no combate à criminalidade. A aeronave, cujo aluguel custa R$ 586 mil por mês, já está sobrevoando regiões onde há grande incidência criminal para coleta de informações e deverá entrar em operação plena a partir do dia 13, quando termina a fase de testes.A Secretaria da Segurança Pública mapeou 386 áreas consideradas ?perigosas? na região metropolitana da cidade, que serão monitoradas pelo dirigível. ?Tem áreas que são muito mais perigosas que favelas. Vocês vão se surpreender com o resultado das ações integradas da polícia?, disse nesta quinta-feira o secretário Roberto Aguiar, que mais uma vez prometeu prender o traficante Elias Pereira da Silva, o Elias Maluco, até o fim do mês. Aguiar afirmou que vai ?mandar fechar? a Linha Vermelha, a Linha Amarela, a Avenida Brasil e a Avenidas das Américas ?principais vias expressas da cidade ? sempre que houver confronto envolvendo criminosos. ?Eu estou mandando fechar a pista quando tiver confronto. Entre parar o trânsito e perder a vida de um cidadão, opto por isso. Entre a sua vida e dez minutos de encontro amoroso, opto pela sua vida. Mando parar mesmo.? Num primeiro momento, os eixos viários deverão ser o principal foco do dirigível. Das 386 áreas consideradas críticas pela secretaria, 130 foram classificadas como especiais e receberão gradativamente atenção redobrada da vigilância aérea. De acordo com a secretaria, a operação denominada ?Um Olho no Céu? terá à sua disposição cerca de 10 mil policiais civis e militares por turno. Informações e imagens captadas pelo dirigível serão repassadas por meio de um sistema de microondas para o Centro de Operações.A partir de sua base, no Clube da Aeronáutica, na Barra da Tijuca, o dirigível de 40 metros terá condições de se deslocar dentro de um raio de 60 quilômetros, cobrindo uma área que abriga 70% da população do Estado. A aeronave, fabricada na Inglaterra, atinge velocidade máxima de 170 quilômetros por hora e possui câmeras capazes de registrar a placa de um carro a até 15 quilômetros de distância. Sensores infra-vermelho, de acordo com a secretaria, vão permitir o patrulhamento noturno. ?O dirigível vai permitir a racionalização de custos ao diminuir o deslocamento de viaturas. Com qualidade na informação, vamos chegar mais rápido e sabendo o efetivo necessário para cada operação policial?, declarou Aguiar.

Agencia Estado,

05 de setembro de 2002 | 18h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.