Bens de traficante ligado a pastor serão rastreados

A Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) vai rastrear o patrimônio do traficante Alberico de Azevedo Medeiros, o Derico, de 28 anos, preso no último dia 3 num apartamento alugado em nome de um pastor da Assembléia de Deus dos Últimos Dias, no Paraná. A intenção do delegado Anderson D´Azevedo é saber se bens do traficante foram repassados para a igreja, liderada pelo pastor Marcos Pereira da Silva. Anteontem, a polícia prendeu três foragidos da Justiça na fazenda Vida Renovada, na Baixada Fluminense, de propriedade da Assembléia de Deus dos Últimos Dias."Se o pastor recebeu bens que têm origem ilícita, isso pode configurar lavagem de dinheiro. Mas não há nada comprovado", afirmou D´Ângelo. O delegado disse que Derico está no tráfico desde os 10 anos. Aos 18, assumiu o comando das bocas-de-fumo da Favela do Acari. "O tráfico na região rendia R$ 2 milhões por mês. Sabemos que ele era dono de imóveis, motocicletas BMW, apreciava cavalos de raça. Mas todos esses bens sumiram", afirmou o delegado. O pastor Marcos garante que não aceita doações de traficantes.D´Angelo recolheu 1.074 fitas de vídeo na sede da igreja com gravações de cultos. Nas cerimônias, traficantes são exorcisados e outros, como Derico, contam suas experiências no crime e se dizem convertidos. O delegado usará as fitas para obter mais informações sobre criminosos. "Alguns deles nós só conhecemos o primeiro nome ou o apelido. Também queremos ver como estão alguns traficantes, de quem só temos imagens antigas e podem ter feito modificações na aparência", disse.O próximo alvo da DRE é o traficante Robson André da Silva, o Robinho Pinga, amigo de Derico e um dos principais fonecedores de armas para sua facção criminosa - ele é acusado de ter vendido granadas e minas terrestres das Forças Armadas para traficantes da Favela da Coréia. "O pastor Marcos disse que ele também foi convertido", disse.Segundo o pastor Marcos, Derico não se entregou para a polícia porque ainda estava sendo "trabalhado". "Não houve tempo para ele se entregar". Ele garantiu que não aceitou doações. "Essa fazenda foi comprada a prazo e ainda está sendo paga", afirmou. O pastor disse que não se sente perseguido pela polícia. "Eles estão fazendo o trabalho deles".A fazenda Vida Renovada está sendo construída aos poucos, com trabalho voluntário de fiéis, a maioria formada por ex-presidiários. Eles recuperaram um lago, duas piscinas, fizeram campo de futebol e quadra de vôlei e estão construindo baias para cavalos mangalarga e pampa. O projeto da igreja é construir ali um templo e um abrigo para 600 fiéis. Ontem, 30 homens trabalhavam no terreno. Liberdade - Dos três presos anteontem, um foi libertado. Os outros dois respondem por estupro, assalto à mão armada, porte ilegal de arma, entre outros crimes. "Não acobertamos bandidos e não sabíamos que eles estavam sendo procurados. Mas é melhor tê-los na igreja do que no morro", afirmou o pastor Robson Pereira da Silva, irmão do pastor Marcos. "É uma luta espiritual. Pegamos prostituta, lésbica, homossexual, estuprador, lavamos eles e devolvemos limpinhos para a sociedade".O pastor Marcos tem uma atuação considerada controvertida. Ficou conhecido por evangelizar em penitenciárias, mas está proibido de entrar no sistema carcerário pelo secretário de Administração Penitenciária, Astério Pereira dos Santos, por ter entre suas fiéis irmãs do traficante Márcio dos Santos Nepomuceno, o Marcinho VP. Apesar disso, foi chamado pelo secretário de Segurança Pública, Anthony Garotinho, para intervir na rebelião da Casa de Custódia de Benfica, que terminou com 31 mortos. Entre seus fiéis estão traficantes, ex-presidiários e até um delegado de polícia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.