Bens de traficantes serão leiloados em SP

Dezenas de carros e motos, barcos e aviões apreendidos em São Paulo com traficantes, nos últimos três anos, pelas Polícias Civil e Militar, serão leiloados este mês pela Secretaria Nacional Antidrogas (Senad). O dinheiro vai para o Fundo Nacional Antidrogas (Funad), que fará o repasse. Mais da metade será destinada para investimentos no Estado de São Paulo em programas de combate ao tráfico, no tratamento dos dependentes químicos e nas ações de prevenção ao crime organizado.A capitalização das apreensões do tráfico faz parte de um convênio, assinado em 26 de dezembro de 2002, entre o governo do Estado, por meio da Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, e o governo federal, representado pela Senad. O acordo prevê ainda o desenvolvimento de ações conjuntas para a criação de programas antidrogas. Caberá à Secretaria da Justiça acompanhar os resultados e a legalidade das ações. Os bens apreendidos ficam sob custódia do Estado até que sejam levados a leilão.PrevençãoO Conselho Estadual de Entorpecentes (Conen) vai receber uma parte para aplicar na coordenação e execução de programas de prevenção ao uso de drogas, tratamento e recuperação do dependente. A Secretaria da Segurança Pública também será beneficiada e o dinheiro deverá ser destinado a projetos de repressão ao tráfico. A Secretaria da Justiça usará o dinheiro em programas de prevenção ao crime organizado.O Funad, criado para administrar recursos obtidos no combate ao tráfico, vem perdendo dinheiro por causa da burocracia para marcar os leilões. Centenas de veículos, dezenas de aviões, carros e barcos apreendidos no País em poder de traficantes estão apodrecendo em pátios de delegacias, depósitos do governo, marinas, aeroportos, aguardando os leilões que não são marcados pela Justiça. No ano passado, em São Paulo, a Senad fez o leilão de 80 carros, 3 barcos, 1 moto e 10 aviões, conseguindo arrecadar cerca de R$ 500 mil.ConvênioApesar de ter feito a maioria das apreensões, o Departamento de Investigações sobre Narcóticos (Denarc) não recebeu dinheiro do leilão, porque a Secretaria da Segurança Pública de São Paulo não tem convênio com a Senad. A partir deste ano, com o convênio assinado pela Secretaria da Justiça, o Denarc passará a receber esses recursos.No ano passado, de janeiro a dezembro, o Denarc apreendeu mais de 4,5 toneladas de drogas, a maioria na capital. Foram 3,5 t de maconha, 1 t de cocaína e 50 quilos entre crack, haxixe, ecstasy e LSD. Os policiais do Denarc prenderam 1.360 traficantes, apreenderam 350 armas, dinheiro, carros, aviões, motos, que poderão ser leiloados após conclusão dos processos e autorização da Justiça. Muitos dos traficantes presos vendiam drogas em escolas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.