Bertioga quer duplicação da Rio-Santos

O prefeito de Bertioga litoral sul de São Paulo, Lairton Goulart (PL), propôs hoje a duplicação da Rodovia Rio-Santos no trecho entre o trevo da Dom Domênico Ranghoni e a praia de Boracéia, num total de 54 quilômetros."A cidade paga um ônus social caro por ser cortada pela rodovia e a previsão é de que a situação seja caótica a partir da liberação da nova pista da Imigrantes, prevista para o final do ano que vem". A proposta foi apresentada hoje, durante o seminário sobre os impactos que a duplicação da Imigrantes ocasionará à Baixada Santista.Segundo Lairton Goulart, "20% do movimento atual dos turistas que passam pela Imigrantes seguem para o Litoral Norte e, nos fins de semana de verão formam-se grandes engarrafamentos de trânsito na Rio-Santos". Essa situação deverá se agravar mais, já que a nova pista deverá provocar um acréscimo na capacidade de tráfego do Sistema Anchieta-Imigrantes de 8.500 veículos para 14 mil veículos/hora, um aumento previsto de 70% no trânsito."Com tudo isso, a tendência é que a situação piore em muito e, com congestionamentos maiores, deveremos ter problemas até de socorro médico na cidade", disse ele, lembrando que a Rio-Santos corta 40 quilômetros de Bertioga. "O ideal seria a duplicação dessa redovia e, como ainda teremos 18 meses para a entrega da nova pista da Imigrantes, dá tempo de resolver esse problema antes que ele se agrave ainda mais", disse o prefeito.Ele lembra que o ex-governador Mário Covas (PSDB) havia apresentado uma proposta intermediária, de construção de mais uma pista. "Não é a melhor solução, mas já resolve em grande parte, já que, com três pistas de tráfego, pode ser instituída operação especial nos finais de semana, deixando duas delas para o sentido de maior movimento".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.