Berzoini deixou presidência do PT por não explicar dossiê, diz Lula

O presidente e candidato à reeleição, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), disse nesta segunda-feira durante gravação do programa Roda Viva, da TV Cultura, que quando surgiu o escândalo do Dossiê Vedoin, chamou o então presidente do PT, Ricardo Berzoini, e perguntou: "Ricardo, quem foi o autor dessa idéia, dessa sandice e Berzoini disse que não sabia de nada". Então, Lula afirmou que falou a Berzoini que deveria descobrir quem teve essa idéia e quem fez isso. Depois, passaram-se alguns dias e Berzoini não respondeu, o que o levou a deixar a presidência do PT.Lula voltou a afirmar que não sabe a origem dos R$ 1,75 milhão que seriam usados na suposta compra do dossiê contra os tucanos, que ele foi o maior prejudicado nesse episódio e que gostaria de saber quem foi o arquiteto dessa "sandice".Envolvimento de MinistrosSobre o escândalo de corrupção e o suposto envolvimento de ministros do governo, o presidente afirmou que formar a equipe é "como escalar uma seleção". Segundo ele, a escolha se dá a partir das qualidades que as pessoas tinham mostrado até então. "Na medida em que a opinião pública julgou que José Dirceu e Antonio Palocci não podiam mais ficar nos cargos, eles foram afastados", disse. Afirmou ainda que as investigações continuam e que o papel do presidente é garantir que o Ministério Público e a Polícia Federal tenham liberdade total para desempenharem bem suas funções.Empresa do filhoPela primeira vez, o candidato falou em público sobre a questão do envolvimento da empresa do seu filho, Fábio Luiz Lula da Silva, com o Grupo Telemar. Segundo Lula, ninguém está acima da lei e todo mundo tem de ser investigado quando surgem denúncias. A questão foi muito investigada e não se chegou a nenhuma conclusão de que houve alguma irregularidade no investimento que a Telemar fez na empresa.Lula disse que tem como princípio não atacar os familiares de adversários, mas que, se outros fazem isso contra ele, como já fizeram, aí é uma opção dos outros. Ele lembrou o caso da filha Lurian na eleição de 1989, levantado pelo então candidato Fernando Collor de Melo. Lula disse que quando ficou sabendo que o site de campanha do PT estava fazendo alusões à mulher e à filha do adversário, Gerando Alckmin, mandou retirar as acusações imediatamente. PrivatizaçãoEle reafirmou que não teria privatizado as empresas de telefonia, mas elogiou o papel da Embratel, quando estatal, e voltou acusar o PSDB de "só saber privatizar".Defendeu ainda a reforma política, afirmando ser a favor do voto distrital misto, e também que o orçamento seja cumprido na íntegra, com obrigatoriedade da aplicação de verbas das emendas nos itens a que foram destinadas.Estavam presentes à gravação o ministro da Justiça, Marcio Thomaz Bastos, o ministro das Relações Institucionais, Tarso Genro, e o coordenador da campanha, Marco Aurélio Garcia. O programa Roda Viva, da TV Cultura, irá ao ar nesta segunda-feira a partir das 22h30.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.