Berzoini nega que renunciará à presidência do PT

Licenciado da presidência nacional do PT, o deputado federal Ricardo Berzoini (SP) divulgou nota nesta quarta-feira para ?desmentir? notícia divulgada pela imprensa de que ele renunciaria ao cargo de presidente da legenda. Ainda segundo o que foi publicado, a decisão teria sido tomada na reunião da Executiva do PT da última terça-feira, a primeira após a reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. No texto, Berzoini sustenta que na reunião ?ninguém propôs renúncia ou retorno? e reitera que vai permanecer licenciado do cargo enquanto durar a apuração sobre o escândalo da compra do dossiê Vedoin contra os tucanos. O deputado se viu forçado a licenciar-se do cargo logo depois do primeiro turno da eleição, acusado pela contratação do ?bando de aloprados? envolvidos na negociação do dossiê. Na nota intitulada ?As incríveis versões da reunião da Executiva Nacional do PT?, ele confirma que não está disposto a renunciar ao cargo de presidente da legenda tal como noticiou o Estado. ?Quero reafirmar minha posição, que não foi questionada na reunião por nenhum membro da Executiva: estou licenciado, atuante como militante e parlamentar, e só estarei disponível para reassumir quando concluídas as investigações?, diz a nota. Em situação difícil no partido, Berzoini acusa ?setores da mídia? de querer ?disputar os rumos do governo e desgastar a convivência do PT? tal como, segundo ele, teriam ?buscado influenciar o resultado eleitoral?. Ele conclui dizendo que a reunião foi ?ótima? e com ?sabor da vitória? na eleição presidencial. A nota foi divulgada no site do PT. Na véspera, o deputado recusara-se a dar entrevistas depois da reunião. Leia a íntegra da nota:As incríveis versões da reunião da Executiva Nacional do PT:Depois de uma reunião extremamente positiva, na qual todas as intervenções foram analíticas e politizadas, fazendo um balanço da eleição e projetando os principais desafios do PT para o próximo período, as versões publicadas a respeito da mesma são um exemplo de desinformação. Algumas publicações dizem: ?Berzoini recusa-se a renunciar?, outras dizem que a minha participação surpreendeu os presentes. Outras ainda especulam sobre os encaminhamentos possíveis para o ?impasse?. Um jornal diz que o ?PT pressiona Lula por um programa de esquerda?. A militância petista, que viveu o enfrentamento eleitoral há poucos dias, pode avaliar com profundidade como setores da mídia buscaram influenciar no resultado eleitoral. Agora, querem disputar os rumos do governo e desgastar a convivência do PT.No que toca à minha situação, ninguém propôs renúncia ou retorno. As pessoas que trataram do assunto preocuparam-se com a funcionalidade da interinidade, e não com eventual mudança no comando do partido.Tampouco houve qualquer proposta ou sugestão de pressão ao presidente, em relação à programa ou a qualquer outro assunto.O nosso presidente interino foi objetivo e direto, a meu respeito:?Ele é o presidente do PT. Ele está simplesmente licenciado enquanto eu sou o presidente interino", disse hoje Marco Aurélio Garcia, após reunião da Executiva Nacional da legenda.Quero reafirmar minha posição, que não foi questionada na reunião por nenhum membro da Executiva: estou licenciado, atuante como militante e parlamentar, e só estarei disponível para reassumir quando concluídas as investigações. Decidi pela licença para evitar que eventuais polêmicas consumissem as energias que deveriam ser canalizadas à disputa eleitoral de 29 de outubro. Mantenho esse compromisso como uma demonstração de compromisso com o projeto coletivo. Reafirmo: foi uma ótima reunião, com espírito de solidariedade e compromisso partidário, com o sabor da vitória do nosso companheiro presidente Lula.Ricardo Berzoini Deputado federal (PT-SP)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.