Berzoini: Pesquisa Ibope não traz nenhuma novidade

O presidente nacional do PT, deputado federal Ricardo Berzoini, afirmou que a pesquisa Ibope divulgada na terça-feira não trouxe grandes novidades em relação aos demais levantamentos publicados nas últimas semanas. Segundo ele, a pesquisa mostra mais uma vez uma manutenção da liderança do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, acompanhada de demonstrações já esperadas de que a população começa a conhecer os demais candidatos que participarão da disputa. "Não há nenhuma novidade", afirmou o presidente do PT, que também é coordenador-geral da campanha de Lula.Os números do Ibope mostraram o presidente Lula com 44% das intenções de voto no primeiro turno, enquanto o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), ficou com 27%. A senadora Heloisa Helena (PSOL), terceira colocada na disputa, teve 8%. Os números dificultam a comparação com levantamentos anteriores, em função da alteração do quadro de candidatos. Mas, na pesquisa anterior, referente ao início de junho, Lula tinha 48% e Alckmin 19%.Apesar de destacar o favoritismo de Lula, Berzoini afirmou que a força do presidente não é motivo de acomodação para o PT. "Persiste um quadro de liderança do presidente Lula, mas que obviamente não nos acomoda", disse o presidente do PT. Segundo ele, o partido continua trabalhando apenas com a perspectiva de uma eleição em dois turnos, considerando que uma eventual vitória no primeiro turno seria apenas um "acidente" nesse percurso." Quando a lei prevê uma eleição em dois turnos, a eleição deve ser tratada com base nesses dois turnos", disse o deputado.Ao comentar o crescimento de adversários, Berzoini afirmou que, por se tratar de uma eleição com poucos candidatos a presidente, é natural que o eleitor comece a buscar identidades nesse estágio da disputa. Ele ressaltou, por outro lado, que a soma das intenções de voto Alckmin e Heloisa Helena ainda deixam o presidente Lula em posição de ampla vantagem. Mesmo assim, o presidente do PT voltou a dizer que ainda é muito cedo para dizer ao certo o que ocorrerá nas eleições.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.