Bezerros (PE) realiza sua tradicional festa dos papangus

Centenas de fantasiados mascarados tomaram neste domingo as ruas de Bezerros, a 107 quilômetros do Recife, no agreste. Chamada de "terra do papangu", a cidade a cada ano recebe mais turistas e foliões interessados em conhecer a atração. Os papangus também podem ser vistos em Olinda e Recife, mas nasceram em Bezerros e é ali que se mantém a sua tradição. Hoje muitos preferem a máscara de plástico, industrializada - afirmam que faz menos calor -, mas a prefeitura tenta incentivar a preservação das máscaras de papel machê e coité, criando oficinas para crianças e jovens aprenderem a confeccionar o artesanato. Sob o tema "O fantástico mundo do circo na terra do papangu", os papangus, embora saiam em grupos ou sozinhos, integram um único bloco. Eles se vestem da cabeça aos pés e as máscaras só mostram os olhos. Com uma população de 60 mil habitantes, a prefeitura estimou em 200 mil o número de pessoas que foram prestigiar o domingo de carnaval no município. Nos quatro dias de folia, a previsão é a de 35 shows em palcos e 150 orquestras animando a população. A brincadeira começou há 100 anos, com um grupo de amigos que se fantasiavam, usando máscaras feitas de papelão ou de papel de embrulhar carne e saiam no carnaval comendo e bebendo nas casas e só tiravam a máscara quando eram reconhecidos. A comida que lhes era servida era o angu, feita à base de milho, daí o nome papangu. Com a profissionalização do seu carnaval, trios elétricos (sem tocar axé) também estão presentes em Bezerros. Presenças ilustres Todos os pré-candidatos ao Governo de Pernambuco - o vice Mendonça Filho (PFL), o deputado federal Eduardo Campos (PSB) e o ex-ministro da Saúde Humberto Costa (PT) - participaram dos eventos mais atrativos ao público. Eles estiveram no Galo da Madrugada, no sábado, no Recife, em Bezerros, e estarão em encontro de blocos líricos e maracatus.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.