Bichos são alimentados no dia de São Francisco

O dia de São Francisco de Assis, protetor dos animais, foi comemorado nesta quinta-feira pelas entidades que cuidam dos bichos. A Sociedade União Internacional Protetora dos Animais (Suipa) alimentou gatos, cotias, patos e marrecos que habitam o Campo de Santana, parque do centro da cidade, e a Fundação Rio Zôo distribuiu folhetos pela preservação dos animais silvestres na Praça Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, zona sul.Voluntários da Suipa distribuíram mais de 50 quilos de comida aos bichos do Campo de Santana, que ainda foram vacinados contra a raiva. As fêmeas serão esterilizadas, e as grávidas terão seus filhotes na sede da entidade. Os animias debilitados também foram recolhidos.Pitbull atacaO dia não foi só de comerações. No Recreio dos Bandeirantes, zona oeste, Maria Eduarda Sevel Rodrigues de Oliveira, de 11 anos, foi mordida nesta quinta-feira de manhã por um cão da raça pitbull na porta de seu condomínio.A menina estava na calçada e se preparava para ir ao colégio, quando foi mordida no braço pelo animal. Maria Eduarda foi levada para a clínica Rio Mar e teve de suturar o braço.O pai da menor registrou queixa na delegacia da Barra da Tijuca. O dono do cão mora no mesmo prédio da vítima.Jibóia também atacaDepois de devorar um filhote de cachorro da raça labrador num condomínio de luxo da zona sul, a jibóia de mais de três metros de comprimento apelidada com o nome do terrorista saudita Osama Bin Laden, por seu poder de destruição, será solta na serra de Niterói, Grande Rio.A cobra é da espécie Boa Constrictor e não é venenosa. Suspeita-se de que ela tenha devorado outro cão, que está desaparecido. O Grupamento de Busca e Salvamento (GBS) do Corpo de Bombeiros capturou-a nesta quarta-feira.Os bombeiros foram chamados ao condomínio, na Estrada do Joá ? área coberta pela Mata Atlântica, habitat natural da jibóia ?, depois que a filha do dono da casa junto à qual a cobra foi encontrada contou ter visto o animal comendo seu cão, de 4 meses.Foram necessários oito homens para conter a jibóia. ?Ela é muito agressiva e forte. Mesmo não sendo venenosa, oferece grande risco. Os moradores estavam muito assustados?, contou o coronel Marco Aurélio Silva, comandante do Grupamento Marítimo (G-Mar), para onde o bicho foi levado antes de seguir para o Jardim Zoológico de Niterói.Segundo os moradores do condomínio, o cão desaparecido é um vira-lata de médio porte. A diretora do zôo, Giselda Candiotto, não acredita que o cachorro tenha sido devorado pela jibóia. ?Depois de comer um bicho grande como um cão, a jibóia fica cerca de dois meses sem comer, para fazer a digestão. Ela não conseguiria devorar outro.?O animal ficará pelo menos dez dias no zôo em observação e só depois será levado para uma mata distante da área urbana. Para Giselda, o ataque ocorreu porque ?o homem está invadindo o habitat dos animais silvestres e não o contrário.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.