Bilionário de Tatuí some da cidade

Depois de ter sido revelada sua condição de bilionário, Francisco Nunes Pereira, o Mineirinho, de 44 anos, sumiu de Tatuí, na região de Sorocaba, cidade onde reside com a família. Com cerca de R$ 2,5 bilhões em duas contas bancárias pessoais, Pereira está entre as 20 maiores fortunas do Brasil. Ele mora num sobrado simples, na Vila Tóquio, periferia da cidade. Apesar dos hábitos discretos, era visto quase diariamente no bairro, ao volante de um Gol vermelho, ano 99. Desde a semana passada, quando foi revelada sua riqueza, ele não aparece em Tatuí. A casa, neste domingo, 14, estava fechada e o telefone não atendia. "Não vejo sinal dele faz uns 10 dias", disse o funileiro Patrick de Souza, morador da mesma rua. Segundo Antonio Nunes Pereira, um dos quatro irmãos de Mineirinho, o irmão rico não está desaparecido. "No sábado mesmo ele estava por aqui. Hoje, parece que ele ia com a família para um hotel fazenda." O irmão confirmou, em seguida, que Mineirinho tinha viajado com a mulher e o casal de filhos. "Não é novidade, eles sempre viajam." Antonio disse não saber quando o irmão deve retornar a Tatuí. "Na segunda, creio ele vai estar em Brasília." No Distrito Federal, Pereira é dono de uma empresa de mineração. Segundo o irmão, isso explica a sua fortuna. "Ele ganhou dinheiro com a exportação de pedras preciosas, não sei o que tem de errado nisso." O dinheiro, lembra Antonio, foi declarado à Receita Federal. "Ele pagou os impostos de tudo." Órgãos do Ministério Público Federal investigam a origem do dinheiro, já que há menos de dois anos, as duas contas de Mineirinho não tinham saldo. Uma delas, no Banco do Brasil, com quase R$ 1 bilhão, agora foi bloqueada pela Justiça de Tatuí para pagamento de uma dívida de R$ 103 mil. Mineirinho responde a outras 66 ações de execução e cobrança no Fórum da cidade. "Ele tem condições de pagar tudo e ainda sobra muito dinheiro", disse o irmão. Ações de cobrançaAté a publicação da história, a imensa maioria dos 102.930 moradores de Tatuí, não sabia quem era Francisco Nunes Pereira, de 44 anos, o Mineirinho. Os mais próximos o tinham apenas como um pequeno e malsucedido empresário, às voltas com uma legião de cobradores, dando duro para manter os dois filhos numa escola particular. Depois que uma revista revelou que Mineirinho é a 16ª maior fortuna do Brasil, com R$ 2,3 bilhões em duas contas bancárias, ele virou celebridade."Prestei serviços para ele e, se soubesse que estava montado na grana, tinha cobrado mais caro", disse o eletricista João Galdino. A casa do bilionário, um sobrado simples, em cima de uma garagem, no bairro Japão, periferia da cidade, virou alvo dos curiosos.Muita gente passava de carro na Rua Brasília Camargo Barros só para ver onde morava o ricaço, bem como alguns cobradores. InvestigaçãoNo Fórum de Tatuí, há 67 processos em que Pereira figura como réu. São ações de cobrança, execuções de títulos judiciais e extrajudiciais e execuções fiscais movidas por vários bancos e empresas. Numa delas, uma empresa carioca tenta receber R$ 155 mil da DDL Chico, uma empresa de desentupimento de fossas de Pereira. A fortuna de Pereira chamou a atenção das autoridades financeiras, e ele está sendo investigado inclusive pela Polícia Federal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.