Bimotor com 4 passageiros ingleses desaparece na Bahia

Infraero afirma que aeronave vez último contato com aeroporto no final da tarde de sexta-feira

Tiago Décimo, de O Estado de S. Paulo, e Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

03 de maio de 2008 | 11h42

A superintendência da Empresa Brasileira de infra-estrutura Aeroportuária (Infraero) confirmou o desaparecimento de um bimotor da empresa Aero Star, no litoral sul da Bahia, no início da noite de sexta-feira, 2. As informações fornecidas pela Infraero são de que havia seis pessoas a bordo: o piloto Clóvis Redault de Figueiredo e Silva, o co-piloto Leandro Veloso e quatro passageiros ingleses, Allan Campson, Rick Every e Sean Lak Woodhl - já confirmados pela Aero Star- e Michael Hogess. Segundo a assessoria da empresa, o quarto passageiro ainda não foi identificado porque os familiares dele ainda não foram avisados sobre o desaparecimento.   Segundo as informações, o avião decolou de Salvador, com destino a Ilhéus, às 17 horas. Havia seis pessoas a bordo da aeronave, um Cessna C-310 de prefixo PT-JGX: o piloto Clóvis Revault de Figueiredo e Silva, de 61 anos, o co-piloto Leandro Oliveira Veloso, de 34 anos, e quatro passageiros ingleses, empresários dos ramos imobiliário e turístico, que alugaram o avião para fazer a rota. Os nomes dos passageiros não foram confirmados pela empresa.    Segundo a gerente comercial da empresa, Ellen Duarte, o piloto fez o último contato com o Aeroporto Jorge Amado, em Ilhéus, às 17h43, dizendo que estava cancelando a navegação por instrumentos para proceder o pouso, previsto para as 17h51. O clima era chuvoso na região, mas havia visibilidade, segundo a Infraero. De acordo com Ellen, o piloto informou que o avião estava a 27 milhas náuticas (50 quilômetros) da cabeceira do aeroporto. "Pela posição, ele deveria estar a cerca de oito milhas náuticas (cerca de 15 quilômetros) da costa, sobre o mar", diz a gerente. Foi o último contato do avião.   Segundo a gerente, todas as revisões e vistorias na aeronave estavam em dia. O Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa) já iniciou as investigações sobre o caso.  De acordo com a assessoria da empresa aérea, os passageiros são empresários do ramo imobiliário e turístico. As buscas estão sendo realizadas em toda a costa marítima que liga Serra Grande à Itacaré, no sul da Bahia, por aeronaves da própria empresa e helicópteros da guarda costeira.   A Embaixada do Reino Unido em Brasília não deu detalhes sobre os quatro passageiros ingleses que estariam a bordo do avião desaparecido. Informou, apenas, que mantém contato com as autoridades brasileiras sobre o caso.   Segundo a página da companhia AeroStar - proprietária do avião - na internet, a aeronave modelo C310 é da fabricante americana Cessna. O avião tem capacidade para cinco passageiros, velocidade média de cruzeiro de 300 quilômetros por hora e tem autonomia de cinco horas de vôo. A aeronave é bastante usada em serviços de táxi aéreo.

Tudo o que sabemos sobre:
acidenteinglesesBahia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.