Biólogos se perdem em reserva na Amazônia

Quatro biólogos estão perdidos desde a manhã de anteontem na Reserva Florestal Adolpho Ducke, a 25 quilômetros de Manaus (AM), do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa). A área de 10 mil hectares é de mata primária, com animais e plantas silvestres, e é a maior estufa de estudos do Inpa na Floresta Amazônica.Ontem, os bombeiros passaram o dia em buscas com ajuda de um helicóptero do Exército. A busca será retomada hoje. Nenhuma pista dos rapazes foi encontrada. O desaparecimento foi informado ontem às famílias de Paulo Vilela Cruz, de 23 anos, de Rondônia, André Silva Fernandes, de 23, de Goiânia, Galileu Petronildo Silva Duarte, de 26, do Rio Grande do Norte, e Ricardo Scherer, de 26, do Rio Grande do Sul. Segundo o Inpa, os rapazes, mestrandos em Biologia, moram em Manaus há cerca de um ano e foram fazer coleta de insetos aquáticos na reserva. Foram deixados por um motorista do órgão anteontem às 8 horas. O motorista combinou que os pegaria no mesmo local às 13 horas. Ele esperou até as 15 horas e acionou os bombeiros. Por considerar um trabalho de rotina, os biólogos não levaram um mateiro - eles têm treinamento em sobrevivência na selva. Em 29 de junho, o estudante Jonatan Santos, de 18 anos, morreu nos braços do pai ao ser achado após ficar mais de dois meses perdido em mata perto da BR-174 (Manaus-Boa Vista).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.