Biscaia não vê motivos para adiar depoimentos à CPI

O presidente da CPI dos Sanguessugas, deputado Antonio Carlos Biscaia (PT-RJ), disse nesta terça-feira que a princípio não vê motivos para adiar os depoimentos marcados para esta tarde, de Jorge Lorenzetti, chefe do núcleo de inteligência da campanha de Lula; o empresário Valdebran Padilha e o advogado Gedimar Passos, acusados de participarem da tentativa de compra do dossiê contra políticos tucanos. Biscaia disse que só ficou sabendo pela imprensa, da intenção do vice-presidente da comissão, deputado Raul Jungmann (PPS-PE), de adiar os depoimentos, até que sejam analisados o sigilo telefônico e outros dados da investigação, recebidos da Polícia Federal na última quinta-feira e desde então lacrados no cofre da CPI. "Se o deputado apresentar um relatório, vamos apreciá-lo e saber quais são as razões que o orientam", afirmou.Para Biscaia, se os depoimentos forem mantidos para esta tarde, os três depoentes poderão ser reconvocados, se houver necessidade. Ele lembrou que Lorenzetti e Gedimar recorreram na segunda ao Supremo Tribunal Federal com pedido de habeas corpus, para evitar o risco de serem presos. Mas o pedido foi negado pelo ministro Carlos Ayres Brito, que os autorizou a ficarem calados, diante de perguntas que não queiram responder. Os depoimentos estão marcados para a partir das 14 horas.

Agencia Estado,

31 de outubro de 2006 | 13h09

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõeseleições 2006

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.