''Bispo assinou em nome da Igreja''

Para religiosos, deputado agiu como representante, não como engenheiro

VITOR SORANO, O Estadao de S.Paulo

31 de janeiro de 2009 | 00h00

Em nota, a assessoria da Renascer defendeu a conduta do deputado José Antonio Bruno (DEM) e ressaltou que, em todas as ocasiões nas quais ele foi signatário, era apenas como representante da Igreja. Segundo o texto, o deputado estava no templo da Lins de Vasconcelos havia dois anos."Todas as vezes que o bispo José Bruno assinou algum documento ou contrato o fez unicamente como representante da Igreja, e neste campo, embora seja engenheiro formado e não exerça a profissão." O deputado possui registro no Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de São Paulo (Crea-SP), mas até ontem estava inativo. A nota afirma que a contratante é, sempre, a Igreja, que se utiliza de um representante, "no caso o bispo", apenas para assinar os documentos necessários nos procedimentos.A Renascer informou, ainda, que não tem "conhecimento técnico nem condições" de fazer declarações aos órgãos públicos sem respaldo profissional. Isso, diz, é o que busca quando contrata empresas que se responsabilizem pelas atividades desenvolvidas.A nota cita, como respaldo, laudos do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), cálculos estruturais apresentados como corretos e o aval de engenheiros competentes. Todos os documentos assinados após a reforma, diz, feita há oito anos, se baseiam em documentos técnicos e laudos de empresas capacitadas para tanto.A nota afirma, ainda, que a responsabilidade por vistoriar e liberar imóveis é do Contru e não do proprietário.O texto relata, ainda, que Bruno é íntegro e que se esmera em seguir seu chamado como pastor e na vida pública. A reportagem entrou em contato com sua assessoria parlamentar, mas não conseguiu falar com ele ontem.PERFILO deputado José Bruno (DEM) está em seu primeiro mandato. Foi eleito com 73.968 votos. Em seu site, se apresenta em fotos com o casal Estevam e Sonia Hernandes, líderes da Renascer. Bruno recebeu de Geraldo Tenuta Filho, o deputado federal Bispo Gê (DEM), doação de campanha no valor de R$ 2.100. Eduardo Hernandes, parente do casal, doou outros R$ 1 mil. A campanha teve receita declarada de R$ 26.839,40. Os dados são do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O site da Assembleia Legislativa de São Paulo contabiliza três leis de autoria do deputado. Uma delas inclui no calendário turístico oficial do Estado a Marcha Para Jesus, organizada por diversas igrejas, entre elas a Renascer. Bruno também foi autor de duas emendas à Constituição do Estado que tratam dos poderes dos deputados. Uma delas na nomeação de integrantes do Judiciário. Outra, na obtenção de informações do Executivo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.