Bispo de Igreja Anglicana é assassinado pelo filho em Olinda (PE)

Mulher também morreu após ser esfaqueada por rapaz de 29 anos, que tentou suicídio e está internado

Priscila Trindade, do estadão.com.br, atualizado às 16h28

27 Fevereiro 2012 | 15h23

SÃO PAULO - O bispo da Igreja Anglicana de Recife Robinson Cavalcanti, de 68 anos, e a mulher dele, Miriam Nunes Machado Cotias Cavalcanti, de 64, foram assassinados na noite deste domingo, 26, dentro de casa em Olinda, Pernambuco.

Segundo a Polícia Civil, o filho adotivo deles, Eduardo Olímpio Cotias Cavalcanti, de 29, matou os dois a facadas.

Eduardo morava nos Estados Unidos, era usuário de drogas e havia retornado há cerca de 15 dias. Ele golpeou o pai depois de uma discussão. A mãe tentou interferir e também foi agredida pelo rapaz. Vizinhos ouviram os gritos das vítimas e acionaram a polícia, que encontrou o bispo já morto.

Eduardo tentou se suicidar em seguida, tomando uma substância ainda não identificada pela polícia, e se ferindo com vários pequenos golpes de faca, mas foi socorrido a tempo e levado para o Hospital da Restauração. Ele está internado sob custódia policial e não corre risco de morte.

A polícia aguarda a alta médica para que ele preste depoimento sobre o caso. A corporação investiga qual seria a motivação dos crimes. Amigos e parentes do casal assassinado informaram que Eduardo era agressivo, mas ainda não há informação sobre desavenças entre ele e os pais.

O crime chocou a população. Cavalcanti coordenou curso de graduação e mestrado na Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e foi diretor do Centro de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Em nota, a Igreja Anglicana lamentou a morte de um dos líderes no país. "O Brasil ficou mais pobre com sua morte, isso podemos ter certeza, que o Pai console sua família e seus irmãos."

Violência. Este foi o segundo crime envolvendo jovens de classe média viciados em drogas nos últimos dez dias. No dia 18, o estudante Herbert Lucas Abreu Mendes, de 22 anos, agrediu a irmã a facadas, no prédio onde morava no bairro do Parnamirim, no Recife, e em seguida matou uma vizinha com a mesma arma, antes de ser morto, a tiros, por um outro vizinho cujo apartamento também invadiu. / COM ANGELA LACERDA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.