Bispo de Palmas, de 75 anos, e padre, de 91, são assaltados

Às vésperas de comemorar 75 anos, o bispo de Palmas, a 370 quilômetros de Curitiba, no sul do Paraná, d. Agostinho Sartori, teve uma experiência desagradável por volta das 10 horas da manhã de hoje. Três homens assaltaram a Cúria Diocesana e trancaram-no na sacristia da capela por cerca de 40 minutos, junto com outras 14 pessoas, entre elas o monsenhor Engilberto Brüggenthies, de 91 anos, e o padre Flávio Luiz Volpato. Os outros eram funcionários da cúria e da residência episcopal. Enquanto estavam trancados, os assaltantes abriram o cofre e roubaram uma coroa de ouro que ornamentava a cabeça daimagem de Nossa Senhora nas festividades mais solenes, três anéis que tinham pertencido ao falecido bispo d. Carlos Sabóia Bandeira de Melo, além de um relógio de d. Sartori e R$ 1.200,00. O delegado Renato de Lima acredita que os assaltantes não sejam da cidade. Segundo ele, o trabalho tem características de ter sido feito por "profissionais" do crime. A polícia não tem nenhuma pista. A funcionária da cúria Jaqueline Hoffmann disse que dois dos assaltantes entraram na casa, enquanto o outro ficou fora. "Eles estavam bem vestidos", afirmou. Quando estavam dentro tiraram armas e anunciaram o assalto. Com exceção dos religiosos, todos tiveram as mãos amarradas para trás antes de serem colocados na sacristia, que foi mantida com as luzes apagadas. Nenhum dos assaltantes estava com o rosto coberto, mas não foram reconhecidos pelos funcionários. Segundo Jaqueline, eles só foram libertados 40 minutos depois, quando uma professora chegou à cúria para uma audiência com o bispo.Ela conversaria sobre as cerimônias de 75 anos de d. Agostinho, a serem comemorados amanhã. A funcionária disse que começou a tossir dentro da sacristia para tentar chamar a atenção de alguém e a professora percebeu, abrindo-lhes a porta. "Foi um grande susto", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.