Bispo recomenda a católicos que não votem em Dilma e no PT

ENTREVISTA

Jose Maria Mayrink, O Estado de S.Paulo

01 Outubro 2010 | 00h00

D. Luiz Gonzaga Bergonzini, BISPO DA DIOCESE DE GUARULHOS

O bispo de Guarulhos, d. Luiz Gonzaga Bergonzini, que em julho recomendou aos católicos não votar em Dilma Rousseff ou em qualquer candidato do PT, porque são favoráveis à legalização do aborto, disse ontem que mantém o veto, mesmo depois do encontro da presidenciável com evangélicos e católicos, anteontem, em Brasília.

Por que o senhor recomendou aos católicos que não votem em Dilma Rousseff e fez questão de citar o nome da candidata do PT?

Escrevi esse artigo dirigido aos fiéis de Guarulhos com a advertência: não votem na Dilma, que é favorável ao aborto, nem no PT, que como partido se posicionou abertamente a favor da legalização do aborto. Digo no artigo que os fieis não devem votar no PT e em todos os candidatos favoráveis à liberação do aborto. Eu disse o nome de Dilma Rousseff e não recuo.

Por que o senhor falou de Dilma Rousseff, mas não citou outros candidatos que apoiam o aborto?

Eu me refiro a eles também. Falei do PT e de outros candidatos que apoiam o aborto. Vale também para esses. Só que o PT fechou questão a respeito do aborto como partido. Há políticos que são favoráveis ao aborto, mas têm liberdade de opinar em seu partido.

O que o senhor acha da posição da candidata Marina Silva, do PV, que se diz contra o aborto, mas propõe um plebiscito para o povo decidir?

Acho uma ilogicidade da parte dela. Porque, se ela coloca essa questão para ser resolvida pelo povo, é como se perguntasse se a pessoa é favorável ou não à pena de morte. Marina foi inconsequente em sua colocação.

A advertência que o senhor faz aos católicos de Guarulhos vale para outras dioceses ?

Muita gente, até bispos, pegou carona no meu artigo. A minha intenção não era me dirigir a todos os brasileiros, mas ao povo de Guarulhos, uma diocese que tem cerca de 1,3 milhão de habitantes e mais de 400 mil eleitores. O tema extrapolou não só para outros Estados.

O senhor revela em quem vai votar para presidente?

Não. Só declarei que não voto na Dilma. Também não pedi voto para ninguém.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.