MARCOS ARCOVERDE/ESTADÃO
MARCOS ARCOVERDE/ESTADÃO

Bispo tradicionalista faz ordenação e pode ser excomungado

Desafiando a Igreja Católica, d. Richard Williamson ordenou bispo o francês dom Jean-Michel Fourre em cerimônia em Nova Friburgo

Carina Bacelar, Enviada especial

19 Março 2015 | 15h32

Atualizada às 20h44

NOVA FRIBURGO - O bispo tradicionalista britânico d. Richard Nelson Williamson, de 75 anos, ordenou bispo na manhã desta quinta-feira, 19, o francês Jean-Michel Foure, de 73, em cerimônia no Mosteiro da Santa Cruz, em Nova Friburgo, Região Serrana do Rio. O ato, um desafio à Igreja Católica, seguiu todo o ritual anterior ao Concílio Vaticano II, concluído em 1965, mas representa uma ofensa às normas atuais do Vaticano.

Segundo o Código Canônico, implica excomunhão imediata de Williamson e Foure, adeptos do tradicionalismo católico. A corrente tem seis locais de culto no Brasil. 

“Não há nenhum problema (em sermos excomungados), porque entendemos que é uma reação perfeitamente inválida. Para nós não surte nenhum efeito”, ressaltou Foure, em entrevista nesta quinta ao Estado


Ele argumentou que bispos e papas já “erraram” ao excomungar santos. “É provável que haja alguma reação do Vaticano, mas não temos preocupação nenhuma, porque há meses pensamos sobre a situação e tomamos essa decisão. Não há nada que poderá nos surpreender”, afirmou o agora bispo. 

Foure criticou a postura do papa Francisco, que tem se manifestado sobre temas atuais. “Nós pensamos que o papel do papa é manter os católicos na doutrina católica, na fé”, disse.

Famoso por negar o número de judeus mortos no Holocausto e afirmar que os atentados de 11 de setembro nos Estados Unidos foram ação do próprio governo americano, d. Williamson se negou a falar.

O ordenamento desta quinta não será o único desafio do bispo ao Vaticano nesta semana. Às 9 horas de sábado, ele vai ordenar padre o monge nicaraguense André Zelaya de León, que vive no mosteiro. 

Os ordenamentos provocaram reações das autoridades da Igreja. Em nota, o arcebispo do Rio, cardeal d. Orani Tempesta, manifestou “sua tristeza ao tomar conhecimento da celebração de ordenação episcopal no Mosteiro da Santa Cruz”. O religioso declarou “apoio e solidariedade” ao bispo de Nova Friburgo, d. Edney Gouveia Mattoso.

D. Edney demonstrou repúdio à sagração. Em texto divulgado no site da diocese, ele classificou o ordenamento como “desobediência em matéria gravíssima” e conclamou fiéis a “não apoiarem de modo algum essa ilegítima ordenação”. 

A Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) não se manifestou sobre o caso. Segundo a entidade, Williamson não figura como bispo em atividade no Brasil. Mesmo que sua situação fosse regular, ele não poderia sagrar um bispo nesta quinta, pois ordenamentos de bispos ocorrem às quartas-feiras. 

Práticas. Segundo d. Tomás de Aquino Ferreira da Costa, de 61 anos, responsável pelo Mosteiro da Santa Cruz, 70 fiéis visitantes e 30 moradores da vizinhança que frequentam o local prestigiaram a cerimônia. Algumas famílias vieram do Paraguai, Argentina e México. “Eles faltaram ao trabalho para vir aqui”, disse o religioso.

Para entender: Bispo desafia hierarquia 

O bispo tradicionalista britânico Richard Williamson e o francês Jean-Michel Foure pertencem à corrente fundada pelo arcebispo francês Marcel Lefebvre (1905-1991), que há décadas resiste a mudanças na Igreja Católica.

O grupo afirma seguir regras da instituição anteriores ao Concílio Vaticano II, realizado entre 1962 e 1965. 

Em junho de 1988, sem o consentimento do papa João Paulo II, Lefebvre, líder da Fraternidade Sacerdotal Pio X, ordenou bispos Williamson e mais três padres. O ato causou a excomunhão dos cinco.

Em 2009, o então papa Bento XVI cancelou a excomunhão. Williamson readquiriu o título de bispo, mas sem as prerrogativas episcopais - não poderia sagrar bispos ou ordenar padres. A regra foi desafiada por Williamson e Foure, o que provavelmente causará nova excomunhão. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.