Blitz fecha 4 bares na região de Pinheiros, em SP

O último "bairro boêmio" da capital, a Vila Madalena, pode estar com os dias contados, graças a uma série de blitze que estão sendo realizadas por uma força tarefa, formada pela Subprefeitura de Pinheiros e o Contru, com o apoio das polícias Militar e Civil e da Guarda Civil Metrolitana. A primeira delas aconteceu nesta madrugada e quatro bares, dos mais freqüentados na região, foram fechados e seus propretários multados.Chefiada pela subprefeita de Pinheiros, Bia Pardi, a força tarefa iniciou a blitz por volta 23h00 e encerrou pouco depois das 4h00. Essa primeira ação restringiu-se às casas sobre as quais há mais queixas de desrespeito à lei que controla a emissão de ruídos, também chamada "lei do psiu".A primeira casa lacrada foi o Show Bar, na Rua Cardeal Arcoverde. Além de uma série de irregularidades apontadas pelos fiscais da subprefeitura e do Contru, lá foram encontradas quatro armas: um revólver de calibre 38, que estava com o DJ Aranha (Paulo Sérgio Vieira), uma pitola 380, pertencente ao gerente da casa, o engenheiro Francisco Luiz Ceni, de 52, que estava no escritório, outra pistola 380 e um soco inglês, que estava com o segurança Anderson Palavesini, de 23.De lá os fiscais e policiais seguiram para a Rua Morato Coelho, onde foi fechado o bar Rabo de Saia. E na Rua Harmonia, mais duas casas foram lacradas: o Bar´n´Soul e o Balagã, na esquina da Rua Wizard. Os estabelecimentos estavam superlotados e alguns não tinham alvará para funcionamento e outras exigências legais como saída de emergência. Alguns freqüentadores protestaram contra o fechamento das casas e outros admitiram que, diante das irregularidades, não havia outra providência a ser tomada. Pelo menos uma vez por mês serão realizadas blitze semelhantes, segundo a subprefeita.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.