Bloco do Pholia 2007 inova e escolhe rei da bateria

Um bloco formado exlusivamente por professores, pesquisadores e estudantes universitários pode parecer incomum. Mas no Pholia 2007 o Acadêmicos de São Paulo, criado na USP, mostrou que a inovação é a palavra de ordem, seja na comissão de frente, seja na bateria. A rainha não reina absoluta no Acadêmicos. "Uma corte completa precisa de um rei e eu estou achando ótimo participar dessa festa. Estamos no século 21 e não podemos ter mais esse tipo de preconceito", explica o rei Daniel Manzioni. Ele era um dos destaques do bloco que possui 45% de mulheres na bateria, posto tradicionalmente masculino em todos os desfiles de carnaval que se prezem. A atriz Rosi Campos, madrinha do Acadêmicos de São Paulo, aprovou a idéia. "Os homens nunca aparecem na frente da bateria. Eu acho super bacana e tomara que vejamos mais daqui para frente", diz O assunto é polêmico, como lembra a Garota Pholia 2007, Juliana Braga. "Eu acho que perde um pouco a essência do desfile, no entanto, não tenho nada conta. É sempre bom mudar", acrescenta. Simone Sampaio, Rainha das Rainhas do Carnaval de São Paulo, endossa o coro. "Eu achei o máximo porque é uma transgressão saudável. Nossa festa é uma mistura mesmo. Quanto à mulherada na bateria, acho que elas mandam muito bem", conclui.

Agencia Estado,

12 Fevereiro 2007 | 11h50

Mais conteúdo sobre:
carnaval carnaval 2007

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.