Boeing pode ter se despedaçado na queda

Após chocar-se com o jato Legacy, o Boeing 737-800 da Gol teria se despedaçado no ar antes de atingir o solo. Oficiais da Aeronáutica chegaram a essa conclusão depois de analisarem as primeiras imagens do local do acidente - uma região de selva, próximo da reserva indígena do Alto Xingu. Como não há clareiras na mata, tudo leva a crer que o aparelho foi perdendo pedaços durante a queda.?Por causa da avaria no dorso do Boeing, o que estava solto dentro do avião foi arremessado para fora?, diz uma fonte da Aeronáutica. Os peritos tentarão agora reconstruir a dinâmica do acidente. Só depois de analisarem os destroços do Boeing, técnicos da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) terão condições de dizer qual o ângulo de colisão. A suspeita é que a asa do Legacy tenha cortado o Boeing como uma navalha. Sabe-se, por enquanto, que não houve explosão quando o avião bateu nas árvores.As primeiras imagens do local onde foram achados os destroços do avião mostram que o Boeing não causou grandes danos à floresta, como se as partes do aparelho tivessem sido engolidas pela mata. Os militares tiveram alcançar a pé o local e de abrir uma clareira. Não era possível descer nem por meio de rapel. Isso reforça a tese de que o avião da Gol se despedaçou.Crítica à divulgação das fotosO diretor de segurança de vôo do Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), comandante Antônio Marques Peixoto, criticou a divulgação das fotos. ?Elas servem apenas para noticiar o fato. Não adicionam nada à investigação, porque não foram feitas por um perito.?Para Peixoto, qualquer conclusão baseada nas primeiras imagens do local do acidente é prematura. Para ele, é ?pouco provável? que a fuselagem do avião já viesse se desprendendo antes do choque com as árvores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.