Bolsas encolhem e ganham alça a tiracolo

Enquanto o hit é a baby bag, que de tão pequena só cabem a carteira e o batom, a maxi sai de cena e dá espaço para a clássica de tamanho médio

Valéria França, O Estadao de S.Paulo

03 de abril de 2009 | 00h00

Nas ruas, as paulistanas mais moderninhas já estão usando um grande sucesso dos anos 1980: a bolsa a tiracolo. No São Paulo Fashion Week passado, ela apareceu em alguns desfiles, mas de maneira discreta, ao lado de mochilas, carteiras e bolsões. Agora, com a recente troca de coleção das grifes, o modelo virou vedete das vitrines mais descoladas. Com alça de couro ou de corrente, que vai do ombro até a altura do quadril, o tamanho também surpreende. De tão pequena, é chamada de baby bag. Nela, só cabem carteira, batom e chaves. E a maxibolsa que está na moda há mais de dois anos? "Deixe-a em casa, guardada no fundo do armário, até a moda voltar", diz Franziska Hübener, dona da grife de acessórios que leva seu nome. "As bolsas encolheram", diz ela. As maxibolsas perderam mais de um palmo. Viraram médias, próprias para serem usadas, por exemplo, para trabalhar.Na Lê Sacs, nos Jardins, não há maxibolsas na atual coleção. "Só tenho modelos de tamanho médio e pequeno. A maior que temos foi feita para levar o laptop", diz Helena Buon, proprietária da grife, que forrou a vitrine de baby bags. "Assim que ela chegou à loja comprei uma preta para mim", diz Mayra Fagundes, de 19 anos, estudante de Moda. "Não uso para trabalhar, mas para sair. Eu me livrei de um monte de coisa que levava e de fato não precisava, principalmente para sair à noite. E, além de tudo, fico com as mãos livres, como se estivesse sem bolsa."COMO USARMayra usa a dela transpassada. "Esse é o jeito perfeito de usar quando se tem 20 anos, no máximo", diz Franziska. "As mulheres mais velhas devem preferir o jeito clássico, pendurada no ombro. Fica mais elegante." No começo, carregar uma bolsa a tiracolo é um pouco desconfortável, para não dizer estranho. E, sendo pequena, dá a impressão de ter esquecido alguma coisa em casa, principalmente para quem está acostumada a levar um bolsão pesado cheio, com nécessaires, remédios para dor de cabeça, escova de dente, kit de maquiagem completo, entre tantas outras coisinhas "necessárias". "À noite nem pensar em sair por aí de bolsa grande. O ideal é ir de carteira ou de bolsinha a tiracolo pequena", diz Franziska. A dica para quem costuma sair direto do trabalho para algum compromisso social é levar a baby bag dentro de uma bolsa maior, mais adequada para a rotina diurna. O hit é a baby bag modelo retrô, com cara de carteira da vovó, alça de corrente e ferragens envelhecidas. "A com formato quadrado também está em voga", diz Paula Ferber, dona da grife que leva seu nome. As cores são as neutras, caso do preto, marrom e café. Mas vale também o roxo e o rosa. Destaca-se o couro de bichos exóticos, entre eles, jacaré e cobra. "Esse tipo de couro é um clássico", diz Franziska. "Sobe, desce, mas nunca sai de cena."COLABOROU MÔNICA CARDOSO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.