Alan Santos/PR
Alan Santos/PR

Bolsonaro anuncia ajuda de quase R$ 900 milhões para áreas atingidas pelas chuvas

Presidente sobrevoou áreas atingidas pelas chuvas em Minas Gerais. Chuva deixou 67 mortos em Minas Gerais, Espírito Santo e Rio de Janeiro

Mateus Vargas e Leonardo Augusto, especial para, O Estado de S.Paulo

30 de janeiro de 2020 | 17h23
Atualizado 30 de janeiro de 2020 | 20h36

BELO HORIZONTE / BRASILIA - O presidente Jair Bolsonaro assinou nesta quinta-feira, 30, uma medida provisória (MP) para liberar R$ 892 milhões aos Estados de Minas Gerais, Espírito Santo e Rio de Janeiro, atingidos por fortes chuvas. 

Bolsonaro sobrevoou na tarde desta quinta-feira, 30, áreas atingidas pelas tempestades em Minas Gerais. "Estamos trabalhando ombro a ombro para mitigar os problemas ocorridos com essa catástrofe que aconteceu nos últimos dias", disse, ao lado do governador do estado, Romeu Zema. O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, se recusou a participar do sobrevoo. 

Kalil afirmou que já conhecia "presencialmente os problemas enfrentados por Belo Horizonte nos últimos dias". Ele também não participou do anúncio de recursos feito por Bolsonaro e Zema. Na quarta-feira, 29, o prefeito disse que os gastos para reconstrução das áreas atingidas pelas chuvas na capital mineira precisam de valor de, pelo menos,  R$ 300 milhões e R$ 400 milhões, e que contava com a "sensibilidade" do governo federal. 

A medida provisória será publicada na sexta-feira, 31, no Diário Oficial da União (DOU). O valor será um "auxílio emergencial" em razão das "fortes chuvas que assolaram aquelas áreas, causando grande destruição nos municípios atingidos e desabrigando inúmeras famílias", afirma o Planalto. A ideia é que o recurso seja usado para promover a "reconstrução dos danos sofridos e o restabelecimento de serviços essenciais à população nos municípios afetados", completou o governo em nota.

A MP passa a valer ao ser publicada no Diário Oficial, mas será analisada pelo Congresso Nacional. O texto abre um crédito extraordinário ao Ministério do Desenvolvimento Regional.

A liberação dos recursos acontecerá com a apresentação de projetos de obras ao Ministério do Desenvolvimento Regional. O presidente não detalhou quanto será destinado a cada estado. O anúncio foi feito em pronunciamento no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins, na Região Metropolitana da capital, depois de reunião com prefeitos.

De acordo com o último boletim da Defesa Civil de Minas Gerais, 55 pessoas morreram em decorrência das chuvas. O Estado tem 45.824 deslaojados e 8.297 desabrigados. Uma pessoa ainda está desaparecida e 68 ficaram feridas. Mais de cem municípios declaram situação de emergência. 

Espírito Santo e Rio de Janeiro

No Espírto Santo, de acordo com balanço divulgado na tarde desta quinta-feira, 30, pela Defesa Civil, o número de desabrigados e desalojados por causa das últimas chuvas chegou a 15.343. O número de mortos também aumentou, passou de 9 para 10. A décima vítima foi encontrada por um pescador.

O corpo da jovem Michelle Santos, de 19 anos, foi localizado em uma área rural da Cidade de Cachoeiro de Itapemirim, na Região Sul capixaba. A vítima estava desaparecida desde o último sábado, 25, quando o município foi castigado com o transbordamento do Rio Itapemirim, que invadiu a região e inundou casas e o comércio local. 

No Rio de Janeiro, as chuvas que atingiram o norte e o noroeste do Estado deixaram dois mortos e 15 mil desabarigados ou desalojados. / COLABORARAM VINICUS RANGEL, ESPECIAL PARA O ESTADO, E FABIO GRELLET

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.