José Cruz/Agência Brasil -26/3/2019
José Cruz/Agência Brasil -26/3/2019

Bolsonaro assina MP com reajuste de 8% para forças de segurança do DF, diz Ibaneis

Pela Constituição, o governo federal é o responsável pelo repasse de verbas para pagamento de policiais no Distrito Federal

Fabrício de Castro, O Estado de S.Paulo

24 de dezembro de 2019 | 18h27

BRASÍLIA - O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), afirmou nesta terça-feira, 24, que as polícias civil e militar e o Corpo de Bombeiros do DF receberão reajuste em seus vencimentos de 8% neste fim de ano. O aumento foi concedido via medida provisória assinada na tarde de hoje pelo presidente da República, Jair Bolsonaro.

Pela Constituição, o governo federal é o responsável pelo repasse de verbas para pagamento das forças de segurança no Distrito Federal. Por isso a necessidade da assinatura de Bolsonaro. Após reunião com o presidente, no Palácio da Alvorada, Ibaneis explicou que Bolsonaro assinou uma MP e uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) sobre o chamado Fundo Constitucional. Este fundo recebe recursos do governo federal para custear despesas do Distrito Federal nas áreas de segurança pública, saúde e educação.        

“O que está na MP é a regulamentação da lei que trata do Fundo Constitucional, transferindo para o Distrito Federal o poder de concessão de reajuste”, afirmou Ibaneis. “E a PEC transfere efetivamente os recursos do Fundo Constitucional para a gestão do Distrito Federal”, acrescentou.

De acordo com Ibaneis, o objetivo da PEC é permitir que o Fundo Constitucional, que hoje tem recursos em torno de R$ 14 bilhões por ano, seja direcionado, em especial, para a segurança pública – uma das principais bandeiras de campanha do próprio Ibaneis. “Vamos chegar ao longo do tempo a 60% investido em segurança, e os demais 40% para saúde e educação”, disse o governador.   

Ibaneis esteve reunido na tarde desta terça-feira com o presidente da República, Jair Bolsonaro, e o ex-deputado federal Alberto Fraga, no Palácio da Alvorada, em Brasília.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.