Bomba explode em prédio da OAB do Rio sem deixar feridos

Ex-presidente da seção acredita que explosões eram retaliação contra sua posse na Comissão Estadual da Verdade

Fabio Grellet, O Estado de S. Paulo

07 Março 2013 | 18h04

RIO - Uma bomba, popularmente chamada de "cabeça de nego", explodiu nesta quinta-feira, 7, escadaria entre o 8º e o 9º andar do prédio onde funciona a sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no Rio, no centro na cidade. Ninguém se feriu, mas houve pânico e o prédio foi evacuado para uma varredura feita pelo Corpo de Bombeiros.

Na tarde desta quinta, o Corpo de Bombeiros recebeu uma denúncia de que três explosivos seriam detonados no prédio da entidade. Os bombeiros imediatamente alertaram funcionários da OAB, mas a explosão ocorreu antes que fosse tomada qualquer medida. As demais bombas ainda não foram localizadas.

O ex-presidente da OAB-RJ, Wadih Damous, afirmou ter recebido denúncia de que as explosões eram uma retaliação supostamente promovida por militares da reserva contra a posse dele como presidente da Comissão Estadual da Verdade no Rio.

A comissão vai investigar no âmbito estadual crimes cometidos durante a ditadura militar (1964-1985). O atual presidente da OAB-RJ, Felipe Santa Cruz, é filho do funcionário público Fernando Santa Cruz, militante político preso em 1974 e desaparecido desde então.

Mais conteúdo sobre:
OABRiobombatumuldoferidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.