Divulgação/Assessoria de Comunicação da Prefeitura
Divulgação/Assessoria de Comunicação da Prefeitura

Bombas atribuídas à 2ª Guerra são encontradas em praia de Alagoas

Após a descoberta do primeiro artefato, Marinha enviou ao município de Maragogi um detector de minas, que localizou cinco outras bombas, que estão enterradas e não correm risco de explodir

Solange Spigliatti, do estadão.com.br,

15 de setembro de 2010 | 11h52

SÃO PAULO - Pelo menos seis bombas foram encontradas enterradas em uma praia do litoral norte do Estado de Alagoas este ano. O primeiro artefato foi encontrado por acaso, em maio, por um funcionário da prefeitura de Maragogi, no momento em que era realizada uma obra de saneamento na cidade. O engenheiro responsável mandou suspender a obra e o Esquadrão Antibomba do Estado foi acionado para explodir o artefato. As bombas podem ter sido trazidas para o local no fim da Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

 

De acordo com a prefeitura, o funcionário chegou a dar batidas no cilindro encontrado, pensando se tratar de uma botija com moedas enterradas na época da ocupação holandesa, igual a um outro objeto localizado entre os anos de 1997 e 1998 durante obras na cidade.

 

Após o incidente, a Marinha do Brasil enviou ao município um aparelho detector de minas, que acabou encontrando mais cinco bombas em diversos pontos na zona urbana da cidade no mês passado. Segundo a prefeitura, elas estão enterradas a uma profundidade de seis a oito metros, protegidas contra atritos pela areia e cobertas pelo asfalto das vias e não correm risco de explodir.

 

As minas serão retiradas após as eleições por equipes da Marinha, bombeiros e Esquadrão Antibombas do Estado. Cada bomba pode causar destruição em uma área de raio de aproximadamente 150 metros. Após retirados, os artefatos vão passar por perícia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.