Bombas que explodiram em Santos não eram caseiras

Um ato de vandalismo. Assim a polícia classifica a explosão de duas fortes bombas na Ponta da Praia, pouco depois das 21 horas de ontem e que assustou turistas e moradores que estavam na orla. Uma delas explodiu dentro de uma lixeira, destruindo-a, enquanto a outra estourou na rua. As análises mostraram que não eram artefatos de produção caseira, como se supunha, mas sim bombas vendidas nas lojas de fogos de artifício. Duas horas antes das explosões, o governador Geraldo Alckmin esteve no local em visita ao Aquário Municipal, que foi inaugurado hoje, e a polícia não relacionou as explosões a isso, atribuindo-as a "jovens irresponsáveis".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.