Bombeiro é morto ao reagir a assalto em Campinas

O soldado do 7º Grupamento do Corpo de Bombeiros de Campinas Dorival Rodrigues da Cunha Júnior, 40 anos, morreu ontem ao reagir a um assalto dentro de uma perua do transporte seletivo. O assalto foi anunciado pouco depois das 22 horas por dois passageiros durante o trajeto na Vila Industrial, em Campinas. Cunha Júnior estava armado e tentou impedir os assaltantes. Ele recebeu dois tiros no tórax e um na face vindo de uma arma calibre 38. Chegou sem vida ao pronto-socorro do Hospital Universitário da PUC Celso Pierro. Os dois homens haviam entrado na perua linha 422, Parque Itajaí, no ponto da avenida Anchieta, centro, em frente ao Paço Municipal, pouco antes das 22 horas. Cunha ocupava um dos primeiros lugares; os dois homens foram para o fundo do veículo. Na avenida Bueno de Miranda, Vila Industrial, a dupla pediu para o motorista parar e anunciou o assalto. Com a reação do soldado, um dos assaltantes fez os disparos. Após alvejarem o soldado, os assaltantes saíram correndo e deixaram cair a bolsa com o dinheiro do cobrador da lotação e os pertences dos passageiros. Vários tiros acertaram o interior do veículo, mas nenhum outro ocupante foi atingido. Não há registro do número de passageiros no momento do assalto. Segundo o tenente do 7º Grupamento do Corpo de Bombeiros, Alexandre Riquena Costa, o soldado Cunha estava de folga e portava um revólver particular. Estava na corporação há 10 anos. O sepultamento acontece na amanhã no cemitério de Rio Claro, interior de São Paulo, cidade onde residem seus familiares. Ele deixa quatro filhos do primeiro casamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.