Bombeiros buscam homem arrastado pelas águas na Grande BH

Um grupo de turistas estava em uma cachoeira na Serra do Cipó, quando um súbito aumento do nível da água acabou arrastando um deles, que ainda está desaparecido

Eduardo Kattah, O Estado de S. Paulo

19 de janeiro de 2011 | 17h55

BELO HORIZONTE - As chuvas que atingem Minas Gerais podem ter causado mais uma morte. O Corpo de Bombeiros realizava nesta quarta-feira, 19, buscas por um homem que foi arrastado pelas águas de um manancial em Jaboticatubas, na região metropolitana de Belo Horizonte. Na terça-feira, um grupo de turistas de Goiás e do Distrito Federal estava em uma cachoeira na Serra do Cipó, quando ocorreu um súbito aumento do nível da água. Um dos turistas ficou ilhado e outro foi arrastado pela correnteza.

 

A vítima ilhada foi resgatada com a ajuda de uma aeronave. Os bombeiros iniciaram as buscas pelo desaparecido, que não havia sido encontrado até o fim da tarde de hoje.

 

De acordo com o Corpo de Bombeiros, os temporais que atingiram a cabeceira do manancial teriam causado o aumento do volume da água.

 

A Coordenação Estadual de Defesa Civil (Cedec) contabiliza desde novembro 16 mortes no Estado em decorrência das chuvas. Na noite de domingo, O Corpo de Bombeiros encontrou o corpo de um rapaz que seria vítima de uma enxurrada causada pelo temporal que castigou Belo Horizonte no fim da tarde de sábado. O jovem tentava se proteger da forte chuva em uma galeria pluvial no bairro Marzagânia, quando houve um aumento brusco do volume de água ele foi lançado nas águas do Ribeirão Arrudas. Este óbito, porém, até hoje não havia sido contabilizado oficialmente.

 

Sul. O sul de Minas é a região mais afetada até o momento no Estado. Nesta quarta-feira, 19, o governador Antonio Anastasia (PSDB) seguiu para a região, onde iria vistoriar áreas atingidas nos municípios de Pouso Alegre e Santa Rita do Sapucaí.

 

Também no sul, a pequena Ipuiúna, com sete mil habitantes, comunicou à Defesa Civil que a tempestade que atingiu a região na terça-feira deixou parte da cidade inundada após o transbordamento do Rio Pardo. Aproximadamente 300 pessoas foram afetadas e 40 ficaram desalojadas.

 

As chuvas, porém, perderam força nos últimos dois dias e o tempo permanecia, na maior parte do tempo, estável nas principais regiões mineiras. A previsão da Cedec para ontem (19) era de pancadas de chuvas moderadas nas regiões do Triangulo, Alto Paranaíba, noroeste, Zona da Mata e sul.

 

Desde o início do período chuvoso, em outubro do ano passado, 84 municípios mineiros decretaram situação de emergência em decorrência dos temporais que atingem o Estado. No total, 135 prefeituras comunicaram à Defesa Civil problemas com as chuvas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.