Bombeiros do Rio vão ajudar nas buscas a brasileiro no Malauí

Família do economista que desapareceu em 17 de julho comemora envio de ajuda ao país africano

Clarissa Thomé, O Estado de S. Paulo,

01 Agosto 2009 | 12h11

Onze bombeiros do Rio embarcam vão ajudar nas buscas ao economista brasileiro que desapareceu no Malauí. Eles vão ajuda a encontrar Gabriel Buchmann, de 28 anos, que desapareceu em 17 de julho, quando escalava o Monte Mulanje.

 

Os quatro oficias, incluindo uma tenente, e sete soldados são experientes no resgate em montanhas, segundo o tenente-coronel Alex de Almeida Borges. "Eles já escalaram em montes mais altos, de cinco mil a seis mil metros de altura. Também já estiveram na África, escalando em Uganda, Quênia e Tanzânia", disse Borges, em entrevista à rádio CBN.

 

O Mulanje tem 3 mil metros de altitude. Buchmann foi visto pela última vez quando estava a cerca de 600 metros do cume.

 

A família comemorou o envio da equipe brasileira. "Toda ajuda é bem-vinda. Estamos esperançosos", disse Nina Buchmann, de 25 anos, irmã do economista. "Tenho certeza de que ele vai sair dessa. Ele é muito persistente".

 

Buchmann, estudioso da pobreza, fazia uma viagem pelo mundo, antes de iniciar o doutorado em economia na Universidade da Califórnia. A volta dele para o Brasil estava prevista para o último dia 28.

Mais conteúdo sobre:
Gabriel Buchmann Malauí caso Buchmann

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.