Bombeiros grevistas só aceitam negociação após libertação dos presos

Na segunda-feira, novo comandante da corporação afirmouestar aberto ao diálogo

Tiago Rogero , Estadão.com.br

07 de junho de 2011 | 11h29

RIO - Líderes do movimento grevista dos Bombeiros, que continuam acampados em frente à Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), disseram nesta terça-feira, 7, que não vão negociar com o novo comandante da corporação, coronel Sérgio Simões, enquanto os 439 militares presos não forem soltos. Na segunda-feira, Simões anunciou estar disposto a receber os líderes com as reivindicações, para que ele mesmo possa fazer a negociação com o governo do Estado.

 

Segundo um dos líderes da manifestação, sargento Paulo Edson, não há o que apresentar ao comandante. "Já conhecem todas as nossas reivindicações, de salário e melhores condições de trabalho. Só sentaremos para conversar quando nossos companheiros forem libertados, até porque há lideranças do movimento que estão detidas", disse o bombeiro.

 

Cerca de 15 manifestantes passaram a madrugada em frente à Alerj. Eles estão lá desde domingo e prometem sair somente quando os bombeiros presos forem soltos.

 

Blog. A invasão ao Quartel Central do Corpo de Bombeiros foi anunciada pelo menos dez dias antes no blog SOS Guarda-vidas, que divulga informações sobre as atividades do movimento grevista da corporação. No blog, abastecido pelos organizadores das manifestações, o ato na escadaria da Alerj na sexta-feira, que antecedeu a invasão, vinha sendo descrito como o "dia D" do movimento.

 

A "tomada" do quartel foi mencionada pela primeira vez no dia 25 de maio, quarta-feira, em um comentário anônimo a um post que convoca para o "dia D": "Vamos entrar no Quartel Central e ficar lá até o governo nos dar o piso de R$ 2 mil". Poucos minutos depois, mais um comentário anônimo: "Agora vamos para cima deles. Todos nós vamos para o Quartel Central".

No mesmo dia, novos comentários reforçam a ideia: "No dia 03 vamos para o Quartel Central e de lá só saímos com o aumento". Na quinta-feira passada, 2, um novo comentário menciona a invasão. Um usuário que se identifica como "Sd GV Revoltado" escreveu "amanhã vamos tomar o Quartel e fazer nascer um novo CBMERJ".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.