Corpo de Bombeiros de Minas Gerais
Corpo de Bombeiros de Minas Gerais

AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Bombeiros localizam mais dois corpos em Brumadinho

Vítimas ainda não foram identificadas; outros três ‘segmentos’ encontrados passarão por análise

Thaís Ferraz, Especial para O Estado

17 de fevereiro de 2019 | 15h33

O Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais resgatou dois novos corpos nestes sábado, 16, e domingo, 17. As vítimas foram encontradas nas regiões da instalação de tratamento de minério (ITM) e Remanso II. Três segmentos, como são chamados corpos incompletos, também foram localizados neste final de semana.

O número oficial de óbitos da tragédia que atingiu Brumadinho permanece 166. Os Bombeiros aguardam resultados de testes de DNA para atualizar a lista, já que os segmentos encontrados podem pertencer a corpos já identificados previamente. 

Neste domingo, os trabalhos estão voltados para a demolição da estrutura colapsada da instalação de tratamento de minério da barragem. A operação é realizada com ajuda de maquinário pesado e demanda cuidados, já que existem cilindros de acetileno e GLP (gás liquefeito de petróleo) no local. A corporação espera que a ação facilite a localização de corpos até então inacessíveis. 

Investigações. Na sexta-feira, oito funcionários da Vale foram presos em Belo Horizonte, Itabira (MG) e Rio, como parte das investigações do rompimento da barragem de Brumadinho (MG). As acusações incluem “conluio” para esconder informações sobre o reservatório. 

Além disso, foram cumpridos 14 mandados de busca e apreensão, um deles na sede da empresa. Uma das linhas de apuração envolve descobrir quem detinha informações sobre a barragem antes do rompimento.

Acordo.  A mineradora Vale divulgou comunicado neste sábado, 16, informando que fechou acordo parcial para atendimento emergencial às famílias e de empregados diretos ou terceirizados, vítimas do rompimento da barragem com lixo tóxico de Brumadinho (MG). 

No texto, a empresa revela que pagará as despesas de funeral e verbas rescisórias das vítimas fatais. Além disso, manterá os salários dos que ainda estão desaparecidos.

Em uma próxima audiência, que já estaria agendada, embora a data não tenha sido divulgada no comunicado, a Vale irá propor indenizações por danos materiais, morais, além de planos médico, auxílio-creche, auxílio-educação, despesas de funeral, verbas rescisórias, além de atendimento psicológico e uma doação de R$ 100 mil para famílias de trabalhadores que "pereceram no rompimento" e que "não será deduzida de qualquer indenização".

Tragédia. O rompimento da barragem da mina Córrego do Feijão, da mineradora Vale, aconteceu em uma sexta-feira, 25 de janeiro. A onda de rejeitos de minério de ferro atingiu a área administrativa da empresa e a comunidade da Vila Ferteco, deixando, até o momento, 166 mortos e 144 desaparecidos. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.