ROMILDO DE JESUS/FUTURA PRESS
ROMILDO DE JESUS/FUTURA PRESS

Bombeiros resgatam corpo da 13ª vítima em Salvador

Homem, identificado como Sivaldo Filho, completaria 39 anos nesta terça; duas pessoas continuam desaparecidas

Heliana Frazão, Especial para O Estado

28 de abril de 2015 | 10h52

SALVADOR - O corpo da 13ª vítima dos deslizamentos de terra em Salvador, na Bahia, foi retirado pelo Corpo de Bombeiros no início da manhã desta terça-feira, 28. De acordo com moradores, o homem, identificado como Sivaldo Filho, completaria 39 anos nesta terça. Há informações de que outras duas pessoas continuam desaparecidas na região do Barro Branco, onde sete casas foram soterradas. 

Na noite desta segunda-feira, 27, a Defesa Civil havia informado a morte de 14 pessoas por causa dos deslizamentos de terra em Salvador. Na manhã desta terça, no entanto, o número foi corrigido pelo órgão. Nove óbitos foram registrados na região do Barro Branco. O Corpo de Bombeiros e técnicos da Defesa Civil continuam trabalhando no local, com o auxílio de voluntários da comunidade.


De acordo com a prefeitura de Salvador, cerca de 100 pessoas estão desabrigadas. Elas estão sendo remanejadas para abrigos municipais. No Bairro de São Caetano, também na periferia da capital baiana, um prédio de cinco andares desabou, na madrugada. De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, os moradores conseguiram sair antes do desmoronamento e não houve feridos. No local moravam cerca de 15 famílias. 

Na manhã desta terça, o sol voltou a aparecer em Salvador, mas ainda há previsão de chuva. O governador do Estado, Rui Costa (PT), o prefeito da capital baiana, ACM Neto (DEM), e o ministro da Integração, Gilberto Occhi, devem sobrevoar as áreas mais atingidas pela chuva. De acordo com a Defesa Civil, Salvador tem mais de 600 áreas de risco, a maioria delas originadas pela ocupação desordenada do solo.

Tudo o que sabemos sobre:
Salvador

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.