Bombeiros retomam buscas de desaparecidos em naufrágio em MS

Bombeiros retomam buscas de desaparecidos em naufrágio em MS

Acidente deixou ao menos três mortos; segundo Agência Fluvial, foi a segunda embarcação que afundou no Rio Paraguai nesta semana

Fátima Lessa, Especial para O Estado

26 de setembro de 2014 | 09h47

CUIABÁ - As buscas pelos desaparecidos do naufrágio da chalana (espécie de barco-hotel) paraguaia Sueño do Pantanal  em Porto Murtinho, em Mato Grosso do Sul, foram retomadas na manhã desta sexta-feira, 26. O acidente que deixou mortos e desaparecidos aconteceu na última quarta-feira, 24, e foi provocado por uma tempestade com ventos de até 90 km/h. Até a tarde desta quinta-feira, 25, três corpos haviam sido resgatados e 10 pessoas estavam desaparecidas. 

Na embarcação, estavam 27 pessoas, das quais 16 eram turistas e 11 tripulantes paraguaios. De acordo com o boletim de ocorrência registrado na Polícia Civil, o naufrágio aconteceu por volta das 17h30, no horário de Brasília, no trecho do Rio Paraguai onde a profundidade chega a 20 metros.

Treze pessoas sobreviveram, sendo cinco turistas-pescadores brasileiros e oito tripulantes paraguaios.

O barco-hotel estava na região desde a última sexta-feira, 19. Familiares dos desaparecidos confirmaram que era a quarta vez que o barco era alugado pelo grupo para pescar no Rio Paraguai. Eles embarcaram na cidade de Carmelo Peralta, na fronteira do Paraguai com o Brasil.

O acidente foi provocado por uma tempestade com ventos de até 90 km/h que atingiu Porto Murtinho. A temperatura era de 38ºC e baixou para 22ºC. Em seguida, de acordo com o serviço de meteorologia da Universidade Anhanguera, o vento se transformou em uma espécie de tornado. O barco trafegava pela confluência das regiões de Carmelo Peralta e Isla Margarida, no Paraguai.

O comandante da Agência Fluvial, capitão Alexandre Brandão, disse que pouco antes do vendaval foi emitido um sinal de alerta para os comandantes das embarcações que estavam no Rio Paraguai. Havia previsão de chuva durante o dia, mas não havia noção da intensidade do temporal.

O acidente com a chalana Sueño do Pantanal foi o segundo em menos de 48 horas registrado no Rio Paraguai. Segundo a Agência Fluvial, na terça-feira, 23, uma embarcação da Armada Oficial Boliviana naufragou com 29 pessoas a 27 quilômetros da região de Forte Coimbra, em Corumbá, em Mato Grosso do Sul, a 410 quilômetros de Campo Grande. Até agora, dois corpos foram resgatados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.