Brasiguaios dizem que vão radicalizar protestos em MS

Os sem-terra brasiguaios acampados nas margens da BR-163, em Itaquiraí (MS), ameaçam "radicalizar os protestos" para não desocupar a área até a próxima quinta-feira. O prazo de retirada das mais de 600 barracas de lona plástica, foi determinado pela Justiça. As obras de duplicação da rodovia tomarão toda extensão do trecho atualmente ocupado pelos brasiguaios, ligados ao Movimento dos Sem-Terra.

JOÃO NAVES DE OLIVEIRA, ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

13 Novembro 2010 | 00h00

Anteontem, cerca de 1.500 moradores do acampamento bloquearam a estrada, reivindicando alimentação. Ontem, o Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) distribuiu 403 cestas básicas para os sem-terra. "No momento não haverá mais negociação", disse o superintendente regional do Incra, Manuel Furtado Neves.

Ele explicou que o Incra já viabilizou uma área de 8 hectares, perto do acampamento. "É provisória, porque estamos a procura de terra para assentar os brasiguaios", afirmou Neves. "Outra saída seria a desapropriação de uma fazenda em Naviraí, de 3.700 hectares, Mas depende de liberação da Funai, pois pode ser terra indígena."

Há resistência de pelo menos metade dos brasiguaios, que dizem que somente vão aceitar a mudança se o lugar definido tenha o mínimo de estrutura para as famílias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.