Brasil ajudou a pôr fim à segregação no exército dos EUA

Soldados negros e brancos formavam a FEB

Acervo Pessoal,

25 Agosto 2012 | 15h45

Negros e brancos lutaram lado a lado na Força Expedicionária Brasileira. O mesmo não ocorria no exército dos Estados Unidos, que mantinha separados brancos e negros. Uma das unidades negras americanas, a 92ª Divisão, lutou ao lado dos brasileiros na Itália. Seus oficiais superiores eram todos brancos. E do sul. "Os americanos diziam que nossos negros eram diferentes, que os deles não eram bons", conta o general Octavio Costa.

Em Barbudos Sujos e Fatigados, o historiador César Campiani Maximiano mostra que o bom exemplo brasileiro repercutiu em jornais dos EUA que lutavam por direitos civis dos negros. Logo depois, o presidente Henry Truman aboliu o segregacionismo no exército americano, mandando tropas mistas à Guerra da Coreia (1950-1953). / M.G.

Mais conteúdo sobre:
O Brasil em Armas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.