Brasil é 4º na América do Sul em defesa aérea, diz Saito

Orçamento de 2008 deve ter aumento de investimentos nas Forças Armadas; R$ 3,64 bilhões devem ser usados

TÂNIA MONTEIRO, Agencia Estado

13 Setembro 2007 | 16h56

O comandante da Aeronáutica, Juniti Saito, demonstrou nesta quinta-feira, 13, preocupação com a necessidade de reequipamento da Força Aérea Brasileira. Em sessão fechada da Comissão de Relações Exteriores do Senado, Saito apresentou dados que mostram que o Brasil é hoje o quatro colocado na América do Sul em relação à defesa aérea. Em primeiro lugar, de acordo com suas informações, está a Venezuela, país que tem o maior número de aviões e, há pouco tempo, adquiriu mais 60 aeronaves. O Peru está em segundo lugar e a Argentina em terceiro. "O Brasil está muito atrás de seus vizinhos", comentou o senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG). Azeredo disse que há necessidade de o País se preocupar com o reequipamento das Forças Armadas. O senador explicou que existe uma perspectiva de aumento do orçamento para a Aeronáutica de R$ 2,35 bilhões este ano para R$ 3,64 bilhões em 2008. "Não é que o País esteja preocupado com o número de aviões de ataques nos outros países. Não queremos fazer guerra. Mas temos de estar preparados para nos defender", disse. Já o senador Heráclito Fortes, que preside a comissão, disse que os senadores vão trabalhar para evitar o contingenciamento de recursos para as Forças Armadas. "Alguns setores não podem ficar com suas verbas contingenciadas. Somos um país de paz, mas temos de nos prevenir e estamos perdendo a corrida para os vizinhos", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.