Brasil e Espanha marcam encontro para tratar de repatriação

A reunião será logo após o feriado da Páscoa, confirmou nesta quarta-feira a agência de notícias do Planalto

da Redação, estadao.com.br

12 de março de 2008 | 13h04

Brasil e Espanha agendaram reunião logo após a Páscoa para discutir a questão da entrada de brasileiros naquele país. A reunião foi acertada nesta quarta-feira, 12, durante uma ligação telefônica do ministro das Relações Exteriores da Espanha, Miguel Angel Moratinos, para o chanceler Celso Amorim. A notícia foi confirmada pela Agência de Notícias Brasil, ligada ao Palácio do Planalto. VEJA TAMBÉMSaiba como agir se for barrado em aeroporto Policiais espanhóis chamaram brasileiros de 'cachorros', diz mãeBrasil ameaça restringir entrada de espanhóis no PaísBrasil deve adotar medidas contra espanhóis?   Miguel Angel Moratinos disse ainda ao colega brasileiro que gostaria de encontrar formas de conter os problemas relacionados à entrada de brasileiros antes mesmo da reunião. De acordo com a assessoria de imprensa do Itamaraty, o subsecretário-geral das Comunidades Brasileiras no Exterior, embaixador Oto Agripino Maia, será o representante brasileiro na reunião, cuja data e local serão definidos nos próximos dias. Já chega a 30 o número de estrangeiros impedidos de entrar no Brasil desde a última quinta-feira, 6. Deste total, dezenove turistas foram barrados no Aeroporto Internacional de Salvador, sendo cinco nesta terça-feira. Outros dez, entre eles sete espanhóis, no Aeroporto Internacional do Rio desde sábado. A Polícia Federal nega que está aplicando o princípio de reciprocidade. Na semana passada, a Espanha impediu a entrada de pelo menos 30 brasileiros. A PF informou no entanto, que o procedimento de repatriação de estrangeiros é usual e não representa retaliação. Segundo a superintendência, os primeiros estrangeiros a voltar para casa foram dois americanos que chegaram ao país no fim de semana. Um deles estava sem o passaporte e o outro com o visto vencido. Uma portuguesa que trabalhava no Brasil também foi obrigada a voltar para seu país, porque estava com o visto de trabalho vencido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.