Brasil pode tratar com mais rigor estrangeiros, diz Tarso

O ministro da Justiça negou, porém, que essa postura seja uma retaliação à Espanha

Felipe Recondo, O Estado de S. Paulo

10 de março de 2008 | 11h56

O ministro da Justiça, Tarso Genro, afirmou nesta segunda-feira, 10, no Supremo Tribunal Federal (STF) que o Brasil pode tratar com mais rigor os estrangeiros que viajam ao Brasil depois do incidente envolvendo brasileiros na Espanha.  Na sexta-feira e no domingo, a Polícia Federal da Bahia deportou turistas espanhóis e um italiano. Segundo a PF, as razões principais para o repatriamento foram a falta de recursos para permanecerem no País como turistas e também falta de alojamentos.  VEJA TAMBÉM De cada 5 barrados em 2007 na Espanha, 2 eram brasileiros Para Lula, deportação de brasileiros é 'eleitoreira' Espanhóis são barrados no Aeroporto Internacional de Salvador   'Me sinto um animal abandonado', diz brasileiro retido em Madri  Saiba como agir se for barrado em aeroporto Brasil deve adotar medidas contra espanhóis?  "Se for necessário que essa legislação (sobre a entrada de estrangeiros) seja analisada com lupa, direitinho para que se sinta do lado de lá que aqui também tem lei, isso será feito", disse ao deixar a sessão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que tratava da Lei Maria da Penha. Esse rigor serviria, adiantou o ministro, para que as negociações diplomáticas com outros países, como a Espanha, seguissem de "maneira tranqüila". Tarso Genro negou, porém, que essa postura seja uma retaliação à Espanha. "Não há nenhuma crise de relacionamento do Brasil com o governo espanhol. Nós queremos que os brasileiros na Espanha tenham o mesmo tratamento digno, sóbrio e respeitoso que tem qualquer estrangeiro no País", acrescentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.