Brasil precisa aproveitar boas condições econômicas, diz Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quinta-feira, 31, que o Brasil não pode mais perder tempo e que precisa aproveitar as condições favoráveis observadas hoje na economia para realizar os empreendimentos necessários para implementar um projeto de desenvolvimento sustentável. "Se a gente deixar passar essa oportunidade, esse momento que o Brasil conquistou, possivelmente, a gente depois de perder um ano, vai levar dez anos para recuperar o ano perdido", disse o presidente, após vistoria realizada nas obras de um terminal de granéis (TGG), no terminal marítimo do Guarujá (Termag).Em breve discurso proferido logo após a visita, o presidente ainda incitou o governador de São Paulo, Cláudio Lembo (PFL), as prefeituras da região e a iniciativa privada a acelerarem as obras de modernização do porto de Santos, para que este não perca competitividade em relação aos demais portos do País."Se ele (porto de Santos) ficar deste jeito que está hoje, com 11 ou 12 metros (de profundidade na calha), ele vai perder competitividade contra outros portos brasileiros e, daqui a pouco, vocês vão se dar conta que os navios não estão mais vindo para cá", disse Lula, ressaltando a necessidade da realização de obras de dragagem no porto para que se atinja a profundidade em torno de 15 metros. "Mas não é fácil fazer dragagem, porque a gente enfrenta todo tipo de processo que vocês possam imaginar", reconheceu o presidente, destacando que "o porto de Santos precisa urgentemente ser recuperado".Para Lula, caso as autoridades e a iniciativa privada não se mobilizem para implementar com a máxima rapidez as reformas necessárias para o porto, pode haver um prejuízo relevante para o desenvolvimento do País. "Nós não temos muito tempo para modernizar o porto de Santos, porque fazer crescer mais a possibilidade do porto de Santos, para fazermos mais terminais, para trazermos mais navios, com mais potencial de carga... Porque é isso que vai no fundo ajudar o Brasil a ter o desenvolvimento que todos nós teremos". De acordo com o presidente, o Brasil hoje "depende muito da objetividade da administração pública e da administração privada".O projeto visitado por Lula prevê a substituição das instalações do terminal de fertilizantes do Guarujá pelo novo Termag, que passará a ter uma capacidade de descarga de 3 milhões de toneladas por ano de fertilizantes e enxofre. Também está prevista a construção do novo terminal de granéis do Guarujá, que quando estiver concluído, terá capacidade de embarcar 5 milhões de toneladas por ano, elevando a capacidade de embarque de grãos do porto de Santos para 15 milhões. A construção das obras prevê uma aplicação de R$ 440 milhões, dos quais R$ 175 milhões serão financiados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.