Brasil tem US$ 75 bilhões de reservas, afirma Lula

Um dos eleitores indecisos - Jony Souza Silva - trouxe para o debate realizado pela Rede Globo, nesta sexta-feira, a questão trabalhista. Ele questionou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, candidato à reeleição pelo PT, sobre as suas propostas para trazer para a economia formal os trabalhadores que ainda não têm carteira assinada. O petista disse que reconhece que há muitas pessoas nesta situação e que já mandou para o Congresso uma lei que facilitará a regularização dos trabalhadores que estão na informalidade. "Pretendemos dobrar a regularização destas pessoas".O candidato Geraldo Alckmin (PT) disse que, com o crescimento da economia em torno de 5% e 6%, o mercado de trabalho será mais justo e mais eficiente.Lula destacou os avanços econômicos do seu governo e disse que "nunca o mercado interno teve um mercado consumidor tão forte como agora, e nunca teve um ambiente tão correto".Alckmin retrucou que "o plano que deu certo foi o Plano Real, que estabilizou a moeda. A minha e a sua geração não sabiam o que era estabilidade e o PT votou contra o Plano Real". Destacou que agora, o Brasil é o penúltimo país da América Latina, só melhor do que Haiti, citando matéria publicada pela revista The Economist britânica, medindo o crescimento de 27 países emergentes. "Meu projeto é diminuir a burocracia para as empresas terem mais estabilidade", disse Alckmin, concluindo: "País forte é o país que cresce".O presidente repetiu uma comparação que já havia feito durante a campanha e, dirigindo-se à platéia, disse: "Você sabe que eles governam o Brasil há pelo menos 500 anos. Quando o Cabral chegou aqui já era governo deles". Citou os anos que considerou críticos para o País e enfatizou que "o Brasil quebrou duas vezes, a ponto de o ministro da Fazenda precisar correr para pegar dinheiro emprestado do FMI. Nós não precisamos mais disso, o Brasil tem US$ 75 bilhões de reservas".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.